Mês: setembro 2020

Até Joe Biden critica Bolsonaro

Até Joe Biden critica Bolsonaro

Entenda como a direita está destruindo o meio ambiente!

Um juiz carioca teve o bom senso necessário para suspender decisão de Ricardo Salles que acabaria com proteção de manguezais. É uma vitória, mesmo que pequena. Mas não deixa de ser impressionante e ultrajante pensar que uma medida como a de Salles fosse proposta para começo de conversa. E ainda pelo Ministro do Meio Ambiente, que deveria zelar pela natureza. A medida barrada acabaria com uma série de normas de proteção ambiental no manguezal, justamente no momento em que o mangue pega fogo! A gestão do meio ambiente tem sido tão absurda que até Joe Biden critica Bolsonaro! O candidato favorito para a presidência dos EUA, criticou gestão ambiental do Governo. Essa triste tendência a desrespeito ambiental tem se verificado em todas as agremiações de direita. O próprio Bruno Covas fez nada ou quase nada pela natureza em São Paulo.

A medida que Salles queria enfiar goela abaixo do Brasil extinguia dois dispositivos de proteção ambiental do Ministério do Meio Ambiente. As medidas tinham o papel fundamental de delimitar Áreas de Proteção Permanente (APPs) no manguezal. Especialistas em gestão ambiental dizem que estas são as únicas normas que dão proteção efetiva para os manguezais brasileiros. Ricardo Salles queria mesmo, como admitido em conversas vazadas, passar a boiada em normas de proteção ambiental brasileiras! Felizmente, advogados conseguiram barrar a decisão entrando na justiça.

O que acontece com os mangues é bem parecido com o que aconteceu na Amazônia em ___ deste ano: incêndios criminosos, ao que tudo indica iniciados por latifundiários ruralistas, ameaçam, dessa vez, o manguezal, um dos biomas mais ameaçados do Brasil, berço de vida e fundamental para o equilíbrio ambiental! Houve até quem previu que fumaça tóxica chegaria em São Paulo como resultado dos incêndios! Felizmente, isso não correu.

Biden critica gestão ambiental de Bolsonaro

A tentativa da gestão bolsonorista de destruir a natureza brasileira está dando o que falar até no exterior. Até Joe Biden critica Bolsonaro. Recentemente Biden ofereceu participar de esforço internacional para garantir verba de 20 bilhões de dólares pela preservação da Amazônia. Esse tipo de resposta é inédita, e fruto do descaso total de Bolsonaro com a situação ambiental do país. Ter esse valor oferecido deveria ser encarado como um atestado de incompetência. O próprio Brasil deveria ser capaz, por conta própria, de garantir uma proteção eficiente à nossa Mãe Natureza!

Ao invés de aproveitar a situação para fazer um mea culpa da catástrofe ambiental em seu governo, Bolsonaro preferiu, mais uma vez, insistir em teorias da conspiração. Para ele, a proposta de verba, não tem nada haver com a preocupação de destruição iminente da vida na Terra como consequência possível do aquecimento global. Para ele estaria certo destruir a Amazônia para criar soja e gado, e errado se preocupar com as consequências a longo prazo. E qualquer um que pense de forma diferente tem que estar interessado apenas em deslegitimar seu governo. Não à toa, várias denúncias já foram feitas na própria ONU acusando Bolsonaro de “ecocído”, crime contra a humanidade em que danos ambientais arriscam matar grandes números de pessoa.

Ninguém está elogiando os EUA

Não cabe aqui, também, querer achar que os EUA são bonzinhos nessa história. O país, logo na frente da China, é o maior poluidor do mundo, e tem feito muito pouco para reduzir suas queimas de combustíveis fósseis. Além disso, justamente por ser o país mais rico do mundo, é o que está em posição mais confortável para fazer as reformas necessárias. Um mínimo de malícia é, também, necessário: existem riquezas nos biomas brasileiros de valor comercial inestimável!

Até hoje, o Brasil preferiu destruir tudo para criar gado e soja (vendendo, diga-se de passagem, principalmente para os EUA e para a China). É plausível pensar que outros países possam se interessar nessas riquezas desperdiçadas. Mas a única razão para o Brasil estar nessa posição, para começo de conversa, é justamente devido à gestão ecocida de Bolsonaro. Não haveria porque o exterior oferecer essa ajuda se a gente fizesse nosso trabalho direito! De certa forma, a devastação de Bolsonaro está dando a Amazônia em uma bandeja de prata para outros países, oferecendo a narrativa perfeita de luta pela preservação ambiental! Criando situação em que até Joe Biden critica Bolsonaro. Permitindo que mesmo o futuro líder de um país com um péssimo histórico ambiental como os EUA, sejam críticos à gestão ambiental do Brasil!

Em São Paulo, o padrão se repete

Além dos desastres federais aqui em São Paulo, a preocupação com questões ambientais também é quase nula! Por exemplo, a gestão dele está querendo acabar com os muros verdes na cidade. Os muros verdes, na verdade, não seriam, por princípio, a melhor forma de compensar as emissões de gases do efeito estufa em São Paulo. Os corredores eram para ser medida de compensação ambiental de empresa construtora, que havia destruído 800 árvores na cidade. O corredor verde foi a medida “estilo Vila Madalena” que o, então refeito João Doria, aprovou para compensar essa destruição. Diversos especialistas na época falaram que o melhor seria, simplesmente, obrigar essa empresa a plantar árvores, pois os corredores verdes não são eficientes no sequestro de gás carbônico.

Apesar de não ser a melhor medida, pelo menos seria alguma coisa. Só que não. A construtora simplesmente se recusou a implementar e prover a manutenção dos corredores verdes. O abacaxi caiu no colo da prefeitura. Ao invés de obrigar a empresa cumprir com o compromisso, a gestão Covas assumiu os gastos… Até o dia em que nem isso ela quis mais fazer. Agora o tucanato quer extinguir completamente os corredores, em descaso total com o meio ambiente em São Paulo.

E as matas ciliares também são destruídas!

Não foi o único caso de descaso de Bruno Covas. O prefeito também desde que entrou se recusa a se preocupar com as matas ciliares de São Paulo; matas nas beiradas de rios, fundamentais para garantir o equilíbrio hídrico na cidade. Essas matas tem sido destruídas há bastante tempo, mas Covas não faz nada! Mesmo com vereadores na casa denunciando a destruição! Gilberto Natalini, por exemplo, é um vereador que denuncia a questão há anos! O Professor Vereador Toninho Vespoli é um dos poucos que fez coro a essas reclamações. Até agora, a devastação continua!

Seja na esfera federal, seja na esfera municipal, a direita está destruindo o meio ambiente! Não podemos deixar que continue assim! É preciso agirmos com força por uma revolução solidária capaz de colocar a natureza acima dos lucros!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

TCM suspeita de compra de Covas

TCM suspeita de compra de Covas

Entenda o que está por trás da compra milionária de Bruno Covas!

Há cerca de um mês a prefeitura de São Paulo anunciou uma gigantesca compra de tablets para estudantes do Ensino Fundamental, Médio e Educação de Jovens e Adultos da rede municipal. Nenhuma novidade em ano eleitoral que costuma vir cheio de ideias mirabolantes quando se tem dinheiro em caixa por ter “economizado” em algo que não se deve: Educação.

A princípio anunciar esse tipo de aquisição de quase meio milhão de equipamentos após mais de 5 meses de pandemia e nenhum tipo de ação nesse sentido como liberar wifi das escolas para a comunidade, aquisição de chips para os estudantes ou até mesmo liberação de equipamentos aos servidores em teletrabalho surpreende pela morosidade. Mas não é uma ideia de todo ruim!

Pensando na prática deste governo em fazer anúncios pela mídia sem antes dialogar com a categoria, entidades representativas e até mesmo com a Comissão de Educação da Câmara Municipal, resolvemos enviar um documento para a Secretaria Municipal de Educação.

A solicitação de informações pontuava sobre os aplicativos com fins pedagógicos do dispositivo, dados pessoais dos estudantes, armazenamento de dados, custos, controle auditável, responsabilidade pelo comodato dos tablets, conselhos populares participativos relativamente à adoção de tecnologias no âmbito do município e contemplação dos alunos do MOVA.

Não há cálculos apresentados!

Também preocupado com essa questão, o Tribunal de Contas do Município fez um relatório preliminar de acompanhamento de edital para verificar a regularidade do mesmo.
Após exame realizado concluíram que o pregão não reúne condições para prosseguimento. Dentre os argumentos, não está previsto no plano diretor, não há prazo inicial para ofertar o objeto, não tem a especificação da necessidade da memória e aplicativos, não há no edital a previsão de solução, uma vez constatado pelo usuário, de problema técnico no equipamento relacionado ao seu uso, não há película de proteção e o mais grave, é preciso que a SME embase a justificativa pela opção de aquisição dos equipamentos por meio de estudos ou cálculos.

Ora, não é de se espantar que itens básicos como os citados não estejam contemplados, uma vez que este governo tenha como premissa a questão de terceirizar responsabilidades e apoiar seus parceiros empresários em detrimento do interesse público.

A contradição da gestão do PSDB é tão grande que num momento dizem não ter dinheiro para coisas básicas como alimentação para todos e em outro surgem 180 milhões para comprar tablets simples faltando menos de 2 meses para as eleições municipais e final do ano letivo. Parece até mágica! E como não tem previsão para entrega inicial, também serve como propaganda.

A mão amiga de empresários…

É importante salientar que a Educação básica é presencial, porém todo recurso que possa amparar as TICs ( tecnologias de informação e comunicação) são bem-vindos, aliás, poderiam começar com a tecnologia assistiva que não é garantida na rede. Mas é preciso que se faça tudo com transparência e responsabilidade e não como uma mão amiga ao empresariado em época de eleições.

Sem qualidade nos equipamentos e sem assistência, para dizer o mínimo, tais objetos podem se tornar obsoletos antes mesmo de atingirem a todos os estudantes e servirem apenas como desperdício de recurso público e propaganda política.

Vivian Alves Nunes

Vivian Alves Nunes

Vivian Alves é diretora de escola na Rede Municipal de Educação, historiadora, pedagoga e ativista. Atualmente faz parte da caravana da educação do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Auxílio de Bolsonaro corta da educação!

Auxílio de Bolsonaro corta da educação!

Entenda porque programa de renda de Bolsonaro não é transferência de renda!

Bolsonaro quer cortar 8 bilhões da educação de 17 milhões de crianças pobres! A nova proposta de cortes no FUNDEB é a contrapartida que Bolsonaro propõe para a criação de bolsa auxílio (continuação do abandonado Renda Brasil). Além disso, Bolsonaro estuda, também, acabar com a porcentagem mínima de 25% de investimento na educação, e com o piso da aposentadoria de 1 salário mínimo. Todas essas politicas beneficiam, principalmente, a população mais pobre. Ou seja, em um país em que as 6 pessoas mais ricas tem mais que a metade mais pobre, do jeito que está sendo proposto, auxílio de Bolsonaro corta da educação dos mais pobres!

O FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), é política fundamental de transferência de renda na educação. Ocorre que muitos estados e municípios não conseguem financiar o ensino básico. Aí que entra o FUNDEB: o programa garante um investimento mínimo por pessoa na educação básica, o que diminui as desigualdades regionais e sociais na infância. O programa tem sido fundamental para a formação do povo brasileiro. Sem ele os mais pobres começariam sua educação com mais dificuldades ainda!

Pacote de cortes!

Os mínimos constitucionais na educação são, também, importantíssimos para garantir educação aos mais pobres. Nenhum país conseguiu reduzir suas desigualdades sem investimentos massivos na educação! A constituição federal prevê tanto mínimos nos investimentos federais na educação (18%) quanto mínimos municipais (25%). Se a educação pública melhorou nas últimas décadas em São Paulo, e em outras cidades, é em grande medida por causa desses mínimos! Sob a tutela do “guru da economia” Paulo Guedes, Jair Bolsonaro considera acabar com esses mínimos para colocar mais dinheiro no programa de bolsa auxílio.

Outra coisa que Bolsonaro quer fazer para financiar o auxílio é acabar com o mínimo na aposentadoria! Apesar do desmonte que Bolsonaro fez na reforma da previdência, ainda está previsto um mínimo de um salário mínimo para todos os aposentados. Paulo Guedes já tentou tirar isso na reforma previdenciária. A forte oposição, nas ruas e na política, foi o que barrou essa mudança. Agora Guedes quer aproveitar que as atenções estão todas no coronavírus, para acabar com esse mínimo! Como é de se imaginar, essa política na aposentadoria pública beneficia, principalmente, aqueles que não conseguiram contribuir bastante para o INSS, ou seja, os mais pobres.

O que Bolsonaro propõe não é transferência de renda!

Isso que está sendo proposto não é transferência de renda! Transferência de Renda ocorre quando mecanismos fiscais são usados para tirar dos mais ricos para dar aos mais pobres. O que Bolsonaro propõe é que seja tirado dos mais pobres para dar para os mais pobres. E no processo desmontar a educação básica para os mais necessitados! É um erro tremendo achar que esse é o único jeito de se criar uma renda básica para toda a população. No brasil 6 pessoas tem praticamente a mesma riqueza que a metade mais pobre. Mas ao invés de taxar deles, Bolsonaro pretende fazer política eleitoreira e insustentável de auxílio emergencial. O  auxílio de Bolsonaro corta da educação! Não podemos deixar isso acontecer!

Nós somos a favor, sim, de um programa de renda básica! Muitos não sabem disso, mas já existe até lei prevendo renda básica para todas e todos os brasileiros. O problema é que a lei virou letra morta. Os políticos não tem a coragem necessária para implementar, por que sabem que isso significaria tirar dos mais ricos. Mecanismos, inclusive já previstos na constituição federal, como taxação de grandes fortunas e taxação dos lucros e dividendos poderiam ser fontes de um programa de renda básica de cidadania para toda a população! Outras coisas, como imposto sobre transações bancárias acima de 5 mil reais, e imposto sobre grandes heranças, também poderiam ser usadas para o programa. Ao invés disso o que Bolsonaro prefere buscar recursos em programas que beneficiam os mais pobres (o que dá na mesma que taxar os mais pobres!).

O objetivo é se manter no poder!

A razão por trás dessas propostas é uma só: fazer política eleitoreira em preparação para as eleições de 2022. Bolsonaro tem sofrido com perda no apoio popular. Ele sabe que no campo das ideias ele não convence o povo. Por isso propõe o programa de auxílio. Não há nada de errado em expandir o Bolsa Família, ou mesmo criar outros programas de distribuição de renda. O que deveria ser feito é taxar dos que tem mais para dar aos que tem menos. Mas esse programa de auxílio de Bolsonaro corta da educação! para Bolsonaro é mais fácil tirar dos pobres do que enfrentar os interesses dos bilionários no Congresso e fazer uma distribuição de renda verdadeira. E quem sofre com tudo isso é, como sempre, os mais pobres!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Polícia Federal ataca Boulos!

Polícia Federal ataca Boulos!

Bolsonaro morre de medo de ter Guilherme Boulos no segundo turno para prefeitura de São Paulo! Tem medo por que sabe que Boulos pode vencer do seu candidato preferido à prefeitura, Celso Russomano. Por isso moveu os pauzinhos na Polícia Federal para criar um processo contra Boulos. A razão do processo é uma postagem no twitter de Boulos crítica ao presidente. A verdade é que Bolsonaro e a Polícia Federal estão querendo nos intimidar! Bolsonaro loteou a PF e a transformou em uma Gestapo brasileira a serviço do presidente! Parece que não existem limites para o autoritarismo do palhaço da Alvorada! Com Bozo por trás, a Polícia Federal ataca Boulos!

Mas a gente vai dar a volta por cima! Junto ao Mandato Popular do Vereador Professor Toninho Vespoli 50650, participaremos um twitaço hoje, dia 28/09 às 19h, contra a censura e pela candidatura do Boulos 50 para prefeito! Veja no final como participar do Twitaço!

O Professor Vereador Toninho Vespoli não ficou calado: denunciou a Gestapo brasileira em suas redes sociais!

Boulos criticou o presidente no twitter. Apenas apontou como o autoritarismo do Bolsonaro lembra muito o do antigo rei da França Luís XV. O rei gringo, assim como o Bolsonaro, se achava maior e mais importante do que o seu país ou do que os interesses do povo. A população ficou com raiva e não deu outra: o rei acabou guilhotinado! Foi essa a mera constatação histórica de Boulos no Twitter. Mas para o orgulho frágil de uma PF e de um presidente que não ligam para a história, isso foi o suficiente para intimidar o candidato a prefeito com um inquérito!

Precisa desenhar?

Nem precisa desenhar, né? A verdade é que o Bolsonaro é quem está puxando as cordinhas de tudo! Aparelhou a Polícia Federal transformando ela numa Gestapo brasileira No fim, ao ser autoritário desse jeito, passando por cima de instituições democráticas, o Bolsonaro se assemelha ainda mais ao Rei guilhotinado da França. Uma hora o povo acorda. Uma hora o povo reage. É isso que eles se recusam a entender!

Além do orgulho frágil, está por trás disso tudo uma intimidação contra Guilherme Boulos 50, candidato a prefeito de São Paulo pelo PSOL. Acontece que como mostram as últimas pesquisas em São Paulo, Boulos é quem tem mais chance de tirar São Paulo das garras da direita. Bolsonaro morre de medo disso. Tem tanto medo que até apoiou a galinha voadora, Celso Russomano, para o cargo de prefeito. O Bozo, assim como toda a São Paulo, sabe que Russomano não vence. Mas o objetivo real do Bozo é garantir a vitória do direitista Bruno Covas no segundo turno! Ele prefere qualquer um ao invés de uma candidatura progressista e popular como a do Guilherme Boulos! Por isso mesmo está disposto até mesmo a mandar a Gestapo brasileira em cima do Guilherme Boulos. Ou seja, por isso que a polícia federal ataca Boulos!

Toninho é Boulos, e Boulos é Toninho

O que o Bolsonaro tem tanto medo é de ver o povo participando ativamente da política. O presidente absolutista até consegue domínio na internet com sua máquina de ódio e exército de bots. Mas na hora de conversar, olho no olho, sobre quais ideias o povo quer sendo levadas a frente, o Bozo sabe que não tem a menor chance. Por isso fica tentando tirar a atenção dos problemas reais e fica em campanha permanente buscando polêmica atrás de polêmica. Ele teme tanto pessoas como Guilherme Boulos 50 e Toninho Vespoli 50650 por que essas são pessoas que se propõe a irem ter conversa cara a cara com o povo para planejar a política de São Paulo. Ao invés de uma Gestapo colocada pra cima da oposição, Boulos prefere escutar o povo!

Continuando com o legado de Luiza Erundina, a melhor prefeita da história de São Paulo, os dois candidatos querem uma política de construção de moradia com mutirões, uma política de valorização da economia local, uma política de orçamento da cidade feita em reuniões em conjunto com a população. Enfim, propõe uma política do povo, com o povo e pelo o povo! E na verdade, é disso que o Bolsonaro tem medo: do povo na política!

Participe do twitaço

Você também pode lutar contra a censura e ajudar a mudar a política pra valer! Hoje, dia 28/09, às 19 horas da noite, Guilherme Boulos, junto a Toninho Vespoli e outras lideranças populares, estarão organizando um Twitaço contra a censura Bolsonarista! Para participar é bem simples: é só HOJE, às 19 horas, fazer uma publicação no Twitter com as #NãoIrãoNosCalar, #EstamosJuntosComBoulos e #ToComToninho! Parece muito complicado? Então é só voltar aqui nessa página e clicar no botão “tweet” logo abaixo às 19 horas!

Não aceitaremos censura! O absolutista do Bozo e a Gestapo Brasileira não irão nos calar! Estamos Juntos com Guilherme Boulos 50 e Toninho Vespoli 50650 contra a censura e pelo povo! #NãoIrãoNosCalar #EstamosJuntosComBoulos #ToComTonino

“Cristofobia” é a Mamadeira de Piroca 2.0

Comparação entre 2019 e 2018, segundo informações oficiais do Governo Federal.

Entenda a besteira que é falar de "cristofobia" no Brasil

O Bolsonaro declarou no discurso de abertura da ONU que no Brasil ocorreria “cristofobia”. Essa tal da cristofobia é a mamadeira de piroca 2.0. Veja só: se a mamadeira com um pênis na ponta foi uma fake news inventada por Bolsonaro para vencer as eleições de 2020, agora, percebendo crise de popularidade, Bolsonaro inventa outra fake news para tentar resgatar apoio. Depois do “racismo reverso” e da “doutrinação ideológica de esquerda” vem ainda mais uma fake news da direita caquética. Como nos outros casos, a fantasia é fruto de uma tremenda inversão de papeis, distorções inexplicáveis do que é veiculado na mídia, e, lógico, de uma tremenda máquina de mentiras!.

A “cristofobia” e a opinião popular

Comecemos pelo óbvio, a cristofobia existe em outros países. Não é objetivo desse artigo negar as perseguições religiosas contra cristãos em outros países. Por exemplo, o Afeganistão e a Coréia do Norte, segundo a instituição Portas Abertas, são dois dos regimes autoritários na lista dos que mais praticam cristofobia no mundo. Se em outros lugares a cristofobia é praticada,  no Brasil a coisa é bastante diferente. A começar pela demografia: no Brasil a grande maioria é cristã. São 81% da população, sendo 50% católica e 31% evangélica! Esses números são representativos da população como um todo. Apesar de haver variações conforme renda e região do país, em todos os extratos o Brasil tem maioria cristã! Mais que isso, nenhuma outra religião no Brasil chega perto de ter a mesma penetração que religiões cristãs! Oras, esses dados por si só, se não impossibilitam o discurso da cristofobia, pelo menos o dificultam bastante! Chega a ser tosco falar de cristofobia no Brasil. Aqui a “Cristofobia” é a Mamadeira de Piroca 2.0, nada mais!

Alguns poderiam tentar manter que embora a religião seja predominante entre a população, haveria preconceito por parte das “elites” e do que os fundamentalistas bolsonaristas chamam de “extrema imprensa”.  Segundo essa fantasia seria “a velha política” em conluio com a “mídia comunista” em ação contra os interesses da maioria do país. Essa imagem não poderia estar mais distante da verdade. O que os números mostram é que dos 412 deputados federais eleitos que responderam a uma pesquisa do datafolha a respeito de sua religião, 371 (90%) se declaram cristãos de algum tipo! Número, na verdade, maior que os 81% cristãos da população.

A “cristofobia” e a mídia

No que tange a as opiniões da mídia, as fantasias são, mais uma vez, sem pé nem cabeça. O cristianismo é a única religião que tem um canal de notícias bastante assistido, e com opiniões declaradamente a seu favor: a Record, o segundo maior canal de notícias do Brasil. Alguns talvez tentem sustentar que os maiores perpetradores de “cristofobia” estariam representados pelo maior canal de notícias, a Globo. Novamente não há correspondência alguma com a verdade. O fundador da Rede Globo, Roberto Marinho, era católico praticante. A maioria dos atuais apresentadores da globo não declaram suas religiões, mas tal postura é considerada praxis entre jornalistas, que preferem omitir suas religiões para evitar demonstrar viés. No que tange a cobertura jornalística em si, não são raras matérias da Globo elogiosas ao Papa Francisco, e mesmo ao evangelismo, religião minoritária entre cristãos brasileiros. Percebe-se então: no brasil a “cristofobia” é a mamadeira de piroca 2.0.

Por fim resta analisar o desempenho dos políticos enquanto produzindo leis e normas ligadas à religião. Se de fato houvesse “cristofobia” no Brasil, seria de se esperar que o Congresso aprovasse leis com o objetivo de perseguir a população cristã. Mais uma vez, vemos exatamente o oposto! Isto é, leis feitas com clara e forte inspiração religiosa, com o fim de conservar dogmas e valores de religiões cristãs! Antes de prosseguirmos é importante lembrar que, conforme a Constituição Federal de 1988 o Brasil é um Estado laico. Ou seja, leis com o objetivo de impor ou cercear valores religiosos de qualquer tipo são, em teoria, inconstitucionais. Mesmo assim vemos declarações constantes de deputados em plenária alegando princípios religiosos, quase sempre cristãos, como motivação de suas ações.

A “cristofobia” e o Congresso

Não é apenas nos discursos que tendências cristãs são percebidas entre os legisladores. No congresso, deputados e senadores, declaradamente ligados a grupos evangélicos, por exemplo, fizeram ser aprovada, em 2016, emenda constitucional que isenta templos religiosos de pagarem IPTU. A medida foi aprovada por Projeto de Emenda a Constituição, tipo de norma que precisa de ampla maioria em ambas as casas do Congresso para ser aprovada. Na Câmara dos deputados a medida teve pouquíssima oposição, e no Senado foi aprovada por TODOS os 51 senadores. Se é verdade que a medida atinge, também, religiões menores, por outro lado é inegável que os maiores beneficiários da legislação são templos cristãos: a imensa maioria dos templos cadastrados são cristãos. Mais que isso, a igreja evangélica, segundo o IBGE, abre cerca de 12 mil novos templos por ano! Ou seja, as nossas instituições, supostamente “cristofóbicas”! foram capazes de aprovar isenção de IPTU feita para beneficiar, particularmente, os templos cristãos.

Mas o atual congresso brasileiro é ainda mais submisso aos interesses de lideranças cristãs: em plena crise econômica, fruto do coronavírus e da incompetência da gestão bolsonarista, parlamentares e o próprio presidente se articulam para perdoar 1 bilhão de reais em dívida de impostos de templos religiosos, a partir de projeto de lei. Esse valor é o devido mesmo após diversas imunidades e isenções fiscais das quais as igrejas, pincipalmente cristãs, se beneficiam. Ainda assim, nem mesmo esse valor é considerado justo para os “defensores da fé divina”. O projeto de lei foi aprovado em ambas as casas. A reação de Bolsonaro a proposta de perdão pode parecer hesitante, mas é apenas bem calculada: ele, por ora, vetou o aludido perdão de dívidas, mas apenas por temer ser condenado por crime de responsabilidade fiscal. Ou seja, ele reconheceu, tacitamente, que a lei seria fiscalmente irresponsável, mas ainda assim pediu aos congressistas que derrubassem o seu próprio veto! Não é o tipo de postura esperada de um Congresso “cristofóbico”. Pelo contrário, é a expressão de um Congresso dominado por um pensamento arbitrário em favor de religiões cristãs, mesmo em um Estado supostamente laico!

Preconceito religioso no Brasil

Do outro lado, ao analisar o tratamento da sociedade, da mídia e dos políticos com relação a religiões não cristãs, percebemos, aí sim, um tremendo descaso e preconceito. São constantes agressões e atentados contra templos de religiões afro-brasileiras. No Distrito Federal, por exemplo, local onde vivem os deputados federais e senadores brasileiros (ou seja, local cuja a expressão popular tende a mais influenciar as ações dos congressistas), quase 60% dos ataques a templos religiosos são contra templos afro-brasileiros! Isso seria impressionante por si só, mas torna-se chocante em outro nível quando consideramos que apenas 0,2% dos templos na capital são desse grupo de religiões! Há casos de declarações de ódio na mídia, tanto impressa quanto televisionada, de agressões a lideranças dessas religiões, e mesmo assassinato de praticantes. Vale pontuar que, especialistas no assunto, são categóricos ao afirmar que, no Brasil, não se morre por ser cristão, mas sim por se praticar outras religiões.

Não importa o ângulo analisado. Seja entre na população, na mídia, ou no congresso, no Brasil não há cristofobia! Há, sim, perseguições contra religiões não cristãs, e um Congresso em flagrante desacordo com o princípio do Estado Laico claramente presente na Constituição Federal, interessado em impor normas legais cristãs! Fica claro: quando pensamos na fala de Bolsonaro a “cristofobia” é a mamadeira de piroca 2.0! O Vereador Toninho Vespoli entende essa realidade! E por isso é comprometido em lutar contra a intolerância religiosa e por um mundo de mais paz.

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

As mentiras de Bolsonaro na ONU!

As mentiras de Bolsonaro na ONU!

Entenda porque Bolsonaro é MENTIROSO e ecocida

Hoje, dia 22 de setembro, começou mais uma Assembleia Geral da ONU. Como é tradição no evento, o presidente do Brasil fez o discurso de abertura. O que em outras presidências se mostrou um grande trunfo para o Brasil poder influenciar o mundo com suas perspectivas sobre diversos problemas, este ano foi, infelizmente, um desastre anunciado! 

O discurso de Bolsonaro fez, mais uma vez, o Brasil virar motivo de chacota. Além das já habituais manias de perseguição contra as “instituições internacionais […] que se unem a associações brasileiras, aproveitadoras e impatrióticas, com o objetivo de prejudicar o governo e o próprio Brasil” (sic.), Bolsonaro não economizou mentiras e falácias em seu discurso de abertura. Confira aqui as mentiras de Bolsonaro na ONU!

“Por decisão judicial, todas as medidas de isolamento e restrições de liberdade foram delegadas a cada um dos 27 governadores das unidades da Federação. Ao Presidente, coube o envio de recursos e meios a todo o País.”

 

MENTIRA! Bolsonaro já começa o discurso mentindo sobre a pandemia de Covid! Este Blog possui textos de sobra falando sobre os absurdos do governo Bolsonaro em lidar com a pandemia. Mas aqui vale comentar sobre a decisão da justiça contrária ao ego de Bolsonaro. Na verdade o que o STF decidiu (a contragosto do Bozo) é que os governadores teriam autonomia para declarar lockdown e regras de isolamento. A decisão se deu em um momento em que Bolsonaro tentava vetar decisão de governadores que criavam normas de isolamento social em alguns estados. Mas em momento algum foi dito pelo Supremo que estaria tudo nas mãos dos governadores. Pelo contrário: afirmou que o dever de combater a pandemia deveria ser compartilhado e coordenado entre todas as esferas de poder e gestão brasileiras!

“Somos líderes em conservação de florestas tropicais.”

MENTIRA! Na verdade, segundo estudo feito em 2019 pela Universidade de Maryland o Brasil foi o país que mais perdeu área de florestas! foram 1,3 milhão de hectares de floresta perdidos! O equivalente a 1,8 milhões de campos de futebol! Afirmar que o Brasil é líder de conservação ambiental é uma tremenda cara de pau! Principalmente vindo da boca do Bolsonaro. O presidente retirou verbas do IBAMA e do ICMBio, principais órgãos de fiscalização de desmatamento na Amazônia! Mais que isso, loteou esses órgãos com militares, rompeu acordos e parcerias com lideranças indígenas para o combate a desmatamento e flexibilizou as normas de licenciamento ambiental!

“Nossa floresta é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior. Os incêndios acontecem praticamente, nos mesmos lugares.”

MENTIRA! De fato, a Floresta Amazônica é super úmida. Mas isso não significa que ela não esteja sendo destruída. Os principais destruidores da Floresta Amazônica são ruralistas querendo expandir suas áreas de plantio. Para tacar fogo na floresta o que eles fazem é primeiro arrancar as árvores (com motosserras, tratores etc), depois deixar as árvores secarem ao sol, para enfim tacar fogo em tudo! Ou seja são crimes premeditados, que faz com que o caminho de destruição invada cada vez mais a Floresta Amazônica!

“O caboclo e o índio queimam seus roçados [as florestas] em busca de sua sobrevivência.” (sic.)

ABSURDO! Não têm limites as mentiras de Bolsonaro na ONU! Não é a primeira vez que Bolsonaro tenta responsabilizar os povos nativos pelos incêndios na Amazônia! Esse tipo de mentira ultrapassa os limites da razão. Não apenas os povos nativos não desmatam os biomas brasileiros, como são seus principais protetores! Cerca de 30% das florestas brasileiras são protegidas por povos nativos! A proteção que eles oferecem é barata para a federação, e garante que ruralistas e desmatadores avancem seus rastros de destruição! Ao invés de tentar jogar a culpa neles, uma gestão minimamente decente iria trabalhar junto aos indígenas para proteger cada vez mais áreas de florestas. Mas Bolsonaro já deu o tom de sua gestão poucos meses depois de assumir. Disse em agosto de 2019 que “Enquanto eu for presidente, não tem demarcação de terra indígena”. Tremenda ignorância de um presidente inimigo da conservação ambiental!

“Os focos criminosos são combatidos com rigor e determinação. Mantenho minha política de tolerância zero com o crime ambiental.”

MENTIRA! Desde que foi eleito, Bolsonaro diminuiu o número de autuações ambientais em 34% (menor número em 24 anos)! Ex-funcionários do Ministério do Meio Ambiente, demitidos pelo ministro Ricardo Salles, afirmam que o tom nos órgãos de fiscalização ambiental é de medo constante. Os funcionários são impedidos de fazer os seus trabalhos com medo de serem demitidos! E como se o descaso de Bolsonaro com o meio ambiente não fosse óbvio o bastante, em vídeo vazado de reunião ministerial, o Ricardo Salles admitiu em um show de horrores querer aproveitar a pandemia de Covid-19 para “ir passando a boiada” na Floresta Amazônica! Só dá para falar de “rigor e determinação” do Governo Bolsonaro nos esforços para destruir a Amazônia!

“Juntamente com o Congresso Nacional, buscamos a regularização fundiária, visando identificar os autores desses crimes.”

MENTIRA! Bolsonaro provavelmente se refere a uma medida provisória de sua autoria que regularizou a situação fundiária de latifúndios. Mas o efeito da Medida foi exatamente o oposto ao comentado por Bolsonaro: a medida aumentou o tamanho de propriedades que poderiam ser regularizadas sem vistoria prévia por órgãos governamentais. Ou seja, acabou com a necessidade de muitas propriedades comprovarem que estão seguindo as normas ambientais! Se qualquer coisa essa Medida FACILITOU que ruralistas criminosos desmatassem florestas impunimente! Percebe o absurdo que são as mentiras de Bolsonaro na ONU!

“As grandes queimadas [no Pantanal] são consequências inevitáveis da alta temperatura local, somada ao acúmulo de massa orgânica em decomposição.”

MENTIRA! A principal hipótese da origem dos incêndios no Pantanal é que eles tenham sido causados por ruralistas criminosos donos de latifúndios no Pantanal, como explicado pelo pré-candidato a prefeitura de São Paulo pelo PSOL Guilherme Boulos em suas redes sociais. Na verdade o que temos é o maior número de focos de incêndios no Pantanal na história do Brasil, sendo praticados, provavelmente, por ruralistas com um tácito aval do Governo Federal, demonstrado por sua inação e incompetência em cuidar dos biomas brasileiros!

“E, no primeiro semestre de 2020, apesar da pandemia, verificamos um aumento do ingresso de investimentos, em comparação com o mesmo período do ano passado. Isso comprova a confiança do mundo em nosso governo.”

MENTIRA! Além de mentir sobre o meio ambiente, Bolsonaro aproveita para também mentir sobre a economia! Na verdade os investimentos no Brasil DIMINUÍRAM 7,3% se comparados ao mesmo período do ano anterior.

Pois é, como podem ver foram muitas as mentiras de Bolsonaro na ONU! E isso foram apenas algumas das mais gritantes! Bolsonaro mentiu, e mentiu muito! Dele não dá pra cofiar em uma só palavra! Fora Bolsonaro!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Projetos do Toninho

Toninho Vespoli sempre foi um vereador super combativo. Apesar de liderar uma pequena bancada na Câmara Municipal, Toninho tem garra e mobilização popular! Por isso, junto à periferia e movimentos sociais conseguiu propor, enquanto vereador, 330 projetos legislativos, dos quais mais de 70 foram aprovados (entre leis, resoluções e outras proposituras)! Isso mesmo com um executivo contra ele que chegou a vetar quase 25% dos seus projetos aprovados.

Inclusive, só na terceira semana de setembro deste ano, Bruno Covas vetou 2 projetos aprovados do Toninho Vespoli! um deles, o PL 13/2017, criaria o Passe Livre para desempregados. O outro, o PL 354/2015, proibiria o Rapa de roubar os ítens dos moradores de rua!

Apesar desses absurdos do executivo e da gestão coxinha de Bruno Covas,  Toninho continua um super vereador, com alguns dos melhores projetos e iniciativas que São Paulo já teve! Confira alguns deles:

Congelamento dos salários de vereadores!

Toninho quer acabar com o reajuste de seu próprio salário e de todos os 55 vereadores da casa . Por isso Toninho apresentou o PLO 04/2013!
pl

Semana de Combate ao genocídio do povo negro

A Lei 17.174, de Toninho Vespoli, cria a Semana Municipal de Conscientização e Combate ao Genocídio Negro, a ser celebrada na semana do dia 14 de março, aniversário da morte da Vereadora Marielle Franco!
Lei

Carinho e cuidado com os animais

Muitas pessoas em situação de rua possuem um animalzinho de estimação – cachorro ou gato. A falta de um espaço adequado para acolher esses animais é um dos grandes motivos de recusa ao acolhimento nos CTAs. A Lei 16.520 exige que albergues destinem espaços apropriados para cães e gatos, aumentando assim a efetividade da política municipal de assistência social.
lei

Descer fora do ponto para mais segurança

Descer do ônibus em um local mais próximo a sua residência pode garantir mais segurança, principalmente para às mulheres (cis e trans), idoso e pessoas com mobilidade reduzida. Por isso, a Lei 16.490 assegura que entre as 22h e 5h essas pessoas possam descer fora do ponto.
Lei

Proteção para os moradores em situação de rua!

O Projeto de Lei 514/2016 determina atendimento à população em situação de rua integrado com os benefícios de atendimento habitacional e de saúde.
pl

Proibição de agrotóxicos na cidade de São Paulo

O PL 406/2018 prevê a proibição do uso ou comercialização de veneno utilizado em alimentos e que podem ocasionar males à saúde bem como doenças.
pl

Além destes, temos mais centenas de Projetos de Lei sobre os mais diversos temas! Confira a nossa navegação por eixo temático para conhecer um pouquinho mais sobre o Vereador Toninho Vespoli!

  • PL 516/2015: Propõe que as CEIs (Centros de Educação Infantil) da rede terceirizada sejam retomados pela a rede direta! Dinheiro público para educação pública!

  • PL 313/2019: Estimula os profissionais de Educação a permanecerem na mesma unidade como mais uma possibilidade de evolução funcional.

  • PL 208/2019: Propõe a jornada de 30h aos servidores do Quadro de Apoio Escolar.

  • PL 546/2011: institui a meia entrada para professores da rede pública municipal de ensino em estabelecimentos que proporcionam lazer e entretenimento.

  • PL 699/2017: estende o recesso escolar de julho e dezembro aos membros da equipe técnica e quadro de apoio dos equipamentos educacionais da rede municipal de ensino.
  • PL 316/2020: Cria o programa de fomento destinado ao fortalecimento de associações, cooperativas e microempreendedores que desenvolvam atividades de impacto social na periferia.

  • PL 582/2016: Cria programa de hortas urbanas e periféricas, priorizando ações na periferia de São Paulo.

  • PL 461/2016: Cria e regulamenta o Programa de Infância e arte (PIA) no município de São Paulo, priorizando projetos na periferia.

  • PL 97/2019: Autoriza a criação do parque municipal mananciais do paiol, na Subprefeitura de Parelheiros. A periferia também merece ter acesso a áreas verdes e de lazer!

  • PL 239/2019: Cria o Torneio Taça das Favelas, a ser comemorado anualmente e fomentar esporte e cidadania na periferia.
  • PL 341/2019​​: Permite a criação de gratificação por atendimento ao público aos Agentes de Apoio.

  • PL 196/2020: Prorroga o prazo de validade dos concursos públicos por um ano em face da pandemia.​

  • PL 237/2020​: Impede a redução de salários, abonos, e pagamentos durante a pandemia. ​

  • Pl 316/2017: Corrige pela inflação os vencimentos e gratificações dos servidores públicos municipais

  • PL 232/2019: garante horário de trabalho especial ao servidor com deficiência ou que possua cônjuge ou filho com deficiência
  • PR 12/2014: Cria o Prêmio Frei Tito de Direitos Humanos. Frei Tito foi um dos padres que lutou para proteger perseguidos da ditadura militar.

  • PL 353/2015: Cria o Prêmio Cidadania LGBTT, a ser entregue a membros da comunidade LGBT+ no Dia do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, 28 de junho. 

  • PL 697/2015: Inclui no calendário municipal o Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha.

  • PDL 97/2013: Dispõe sobre a outorga de Salva de Prata ao Comitê Contra o Genocídio da População Pobre, Preta e Periférica.

  • PL 147/2013: Estabelece diretrizes para a política municipal de promoção da cidadania lgbt e enfrentamento da homofobia.
  • PL 564/2019: Dispõe sobre a implementação de áreas de lazer para animais de estimação no perímetro urbano da capital! Propõe que áreas urbanas sejam fechadas para que animais de estimação possam andar livres de guias com segurança!
  • PL 178/2019: propõe incluir placas informativas como número do disque denuncia e o endereço eletrônico da Delegacia de Proteção Animal do Estado de São Paulo.

  • PL 318/2019: Os apartamentos e condomínios são obrigados a aceitar animais de estimação! Animais merecem ser respeitados e não podem ser separados de seus donos!

  • PL 335/2019: Institui na cidade de São Paulo o mês Dezembro Verde, dedicado a ações de conscientização contra o abandono e maus tratos de animais domésticos!

  • PL 238/2020: Institui programa de distribuição de ração aos animais em virtude da pandemia ocasionada pela Covid-19.

Quer saber de TODOS os projetos do Toninho Vespoli? então é só seguir neste link!

Transporte Caro e Ruim

Entenda porque o transporte público em São Paulo é tão ruim!

A tarifa de ônibus está com preço astronômico! 4,40 reais é o preço da viagem! Valor absurdo para um transporte caro e ruim que não passa da ponte pra atender direito as periferias de São Paulo! A medida só é boa para a máfia do transporte, que acumula aumento no faturamento acima da inflação! Entenda porque você tem que lutar contra esses abusos, e somar na luta por um transporte digno e para todos!

O que acontece é que para as empresas de ônibus é mais negócio cobrar caro de poucas pessoas, do que barato de todo mundo. Quem mais precisa de ônibus no dia a dia é quem mora mais longe do centro, nas periferias. Pessoas que saem cedo de casa todos os dias para irem trabalhar em regiões mais centrais. Mas as linhas que levam a periferia para o centro são também as mais caras para manter (por viajarem as maiores distâncias). 

Pensando só no dinheiro as empresas preferem um modelo com menos linhas, menos usuários e com uma tarifa mais cara. Acaba compensando mais pra quem só pensa no lucro. Não é à toa que todo o aumento de passagem vem acompanhado com tentativas de corte de linhas de ônibus que atendem a periferia. O objetivo deles é, cada vez mais, criar uma espécie de ônibus “gourmetizado”, em que só quem tem dinheiro e mora perto do centro, consiga utilizar! Para quem é pobre, entretanto, resta um transporte caro e ruim!

Nem sempre foi assim!

Já foi de outro jeito em São Paulo. Durante a prefeitura da Luiza Erundina as empresas de ônibus eram compensadas pela prefeitura pelas distâncias percorridas. Ou seja, a empresa de ônibus que criasse mais linhas percorrendo as distâncias mais longas, e servindo a mais áreas de São Paulo ganhavam mais. 

É lógico que essa máfia dos transportes não quis que as coisas ficassem assim. Lutaram contra isso, e até ajudaram a eleger o corrupto Paulo Maluf nas eleições de 1992 para prefeito. Maluf serviu bem aos interesses das empresas. Implementou o modelo que a gente já conhece: remuneração da prefeitura não pelas distâncias, e sim pelo número de passageiros. É mais fácil meter um monte de gente dentro de menos linhas servindo menos áreas do que fazer um transporte decente capaz de servir às demandas de toda a população!

Só a luta muda a vida!

Podemos ter um transporte que valha a pena para toda a população! Esta é uma das razões para Luiza Erundina ser pré-candidata à vice-prefeita de São Paulo! Junto com Guilherme Boulos, ela pretende revolucionar o como a política é feita em São Paulo, e acabar com a máfia dos transportes! Mas para isso eles vão precisar da ajuda de todas e todos!

Uma das pessoas ajudando é o vereador Toninho Vespoli. O vereador já entrou na justiça (e ganhou!) contra a máfia dos transportes, impedindo falcatruas nas licitações com as empresas de ônibus. Juntos esse trio, Toninho, Boulos e Erundina, podem ser capazes de fazer um transporte realmente popular e periférico, e que atenda todo mundo! Se todos nós nos unirmos por isso, será, sim, possível!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Por creches públicas e de qualidade!

Por creches públicas e de qualidade!

Saiba por que as creches municipais em São Paulo deveriam ser acessíveis para todas as crianças!

As creches são parte fundamental da educação das crianças. Não são apenas um lugar onde as crianças podem ser “deixadas” enquanto os pais trabalham. Muito mais que isso, são espaços de aprendizagem e desenvolvimento físico e mental para as crianças. É importante lutar pelas creches. E por creches públicas e de qualidade!

As creches são feitas para cuidar das crianças em muitas áreas! Aqui em São Paulo muito do formato de organização das creches se baseia nos trabalhos do poeta, escritor, filósofo, ativista e professor Mario de Andrade. Além de ser renomado escritor, famoso por escrever o livro Macunaíma, Mário de Andrade foi um grande estudioso sobre técnicas pedagógicas para o público infantil. Ele criou, enquanto secretário da educação, os Parques Infantis, verdadeiros centros de convívio em que as crianças eram estimuladas a desenvolver suas habilidades com atividades artísticas, jogos, conversas, rodas de história e mesmo só “ficando de boa” com os colegas

Os Parques Infantis e as creches em São Paulo

Muito da perspectiva dos Parques Infantis foi aproveitada para desenvolver os sistemas de creche em São Paulo. Para além do mero desenvolvimento infantil, o enfoque desse modelo coloca peso na autonomia das crianças, a capacidade de se tornarem senhores de seus próprios destinos! Essas técnicas e práticas foram frutos de décadas de pesquisa estudo e experimentação. Hoje o conhecimento acumulado das cuidadoras e cuidadores em creche é patrimônio impressionante, fundamental para o desenvolvimento adequado das crianças em nossa sociedade!

Covas vai na contramão desse patrimônio. Favorece um outro modelo de creche. Um modelo baseado na privatização e terceirização. Ele prefere usar o dinheiro público para financiar projetos de creches, muitos deles duvidosos, e ainda com pouca fiscalização. Toninho Vespoli sabe disso, e por isso luta, ativamente, por uma educação livre, libertária e transformadora, capaz de transformar seres em seres pensantes! Luta por creches públicas e de qualidade!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Doria é um Mau Gestor!

Doria é um Mau Gestor!

Entenda porque na realidade Doria só governa para os ricos!

Em 2 de Outubro de 2016, João Doria é eleito prefeito de São Paulo. Seu principal slogan: “eu não sou um político, eu sou um gestor”. O então prefeito se referia ao seu passado na iniciativa privada. Não é um passado muito glorioso: foi organizador de eventos  para os mega ricos, e editor de revistas para a classe A (seu maior sucesso na área, a revista “Caviar”). Ou seja, foi gestor de negócios que serviam aos mais abastados. Já para o povo, Doria é um mau gestor!

De certa forma ele cumpriu seu slogan. Continuou sendo um gestor comprometido com o mesmo público. Isto é, serviu aos mais ricos. Desde cedo propôs a venda de serviços e propriedades públicas para o setor privado. Logo em seu segundo dia, anunciou que criaria a Secretaria Municipal de Desestatização, objetivando vender serviços públicos para empresários e “amigos” abastados. Foram anunciados parques, estádios, o sistema de bilhetagem do transporte públicos, e até cemitérios e crematórios. Tudo a preço de banana.

A grande maioria dos serviços anunciados, se privatizados, seriam piorados. Parques e praças, por exemplo, para dar lucro à iniciativa privada precisariam começar a cobrar taxas de entrada, como chegou a ser debatido para o parque Ibirapuera; A verdadeira razão para empresas desejarem comprar o sistema de bilhetagem seria conseguir dados pessoais dos passageiros de ônibus, quebrando assim a privacidade dos paulistanos; a privatização dos cemitérios e crematórios, concluída recentemente na gestão do Bruno Covas, já está produzindo efeitos desastrosos chegando a ser proposto que milhares de mortos sejam queimados juntos!

Doria piorou tudo em São Paulo!

Os erros de Doria não se resumem à área das privatizações desastrosas. Seu governo foi recheado de escândalos. Ele tirou 30 milhões de reais obras contra enchentes, preferindo torrar esse dinheiro com “empresas de consultoria”; cortou em 50% as verbas do programa Leve Leite em São Paulo; propôs um remanejamento do ensino público que pioraria ainda mais o Ensino Médio no Estado; fez de tudo para cortar da previdência do Estado em uma reforma que tiraria dos servidores públicos; guerreou contra artistas e grafiteiros… 

Daria para encher um livro com absurdos na gestão Doria. Mas no atual contexto os absurdos dele na pandemia merecem destaque. O Governador, no Estado mais rico do país, se recusou a criar programa de renda emergencial, capaz de suplementar a renda federal e garantir que todos os paulistas pudessem permanecer em casa. Já em agosto desse ano, ou seja, depois da pandemia estourar, tentou acabar com órgãos como a Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), fundamental para controlar infecções como a covid. 

A quarentena que Doria, junto a Bruno Covas, propôs para São Paulo foi meia boca, e feita de forma que não permitia ao pobre permanecer em isolamento. Agora, depois da lição de casa mal feita, João Doria insiste na volta às aulas antecipada. Não é momento para isso! O corona ainda segue solto, ceifando milhares de vidas todos os dias! Para Doria não importa. Prefere arriscar a vida de crianças para “fazer a economia voltar”. Doria é um mau gestor!

A verdade é que João Doria é um péssimo gestor. Não fez em São Paulo nada que servisse direito à população, e tentou, ativamente, passar medidas que piorariam as vidas dos paulistas! Doria só gere bem para alguns: os super ricos. Para o restante, ele impõe a barbárie!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho