Bolsonaro é exposto por sua covardia com a CPI

Bolsonaro é exposto por sua covardia com a CPI

Saiba mais sobre o último escândalo envolvendo Bolsonaro e vazamento de conversa!

Recentemente o Senador Jorge Kajuru vazou um áudio de uma conversa telefônica com o Bolsonaro. No diálogo o Bolsonaro tenta abafar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da pandemia, praticamente implorando que ela não foque em seus desmandos. Ocorre que a CPI proposta, no atual formato, deve investigar erros e incompetências feitos pelo governo federal durante a pandemia. Assim como em outros momentos, Bolsonaro será exposto por sua covardia com a CPI. Ele morre de medo do que podem vir a descobrir.

A decisão para que o Senado instalasse a CPI foi do Ministro Luís Roberto Barroso. O que ocorreu, na verdade, é que o Senado havia protocolado por uma CPI. Mas o Presidente (violando a lei) não a oficializou. Alguns senadores da oposição ativaram, então, o STF pedindo que a CPI fosse cumprida.

Não cabe aqui uma análise do ministro e sim da sua decisão. Em um momento em que o Brasil sofre por falta de vacinas, e por falta de pessoal para aplicá-las, um Governo que parece ter feito de tudo em favor da pandemia tem mesmo é que ser investigado. Cada dia em que a CPI não ocorre pode representar mais vidas perdidas por erros do Governo. O Ministro fez cumprir a lei. Mas nem tudo é um mar de rosas. A CPI será composta por senadores, principalmente do centrão. Não é motivo para desânimo, no entanto. As CPIs têm que fazer relatórios do que fazem, e algumas figuras que a compõem deverão ser genuinamente contrárias à gestão genocida de Bolsonaro.

O vazamento da conversa

O presidente ao ouvir sobre a CPI deve ter ficado morrendo de medo. Foram vacinas sem ser compradas por birras ideológicas, atentados contra medidas necessárias de distanciamento social e quarentena, resistência ao auxílio emergencial, entre tantas outras catástrofes. Foi logo ligar para os seus “colegas” no centrão. Talvez tenha esquecido que entre tiranos não há justiça. Sua conversa foi vazada. E o conteúdo seria cômico se não fosse trágico: o senador Kajuru pede a Bolsonaro que fale bem dele (pensando apenas em conseguir mais votos), e em troca diz estar lutando por uma “CPI mais ampla”, que incluiria estados e municípios. Provavelmente apenas vazou a conversa por sentir que não estava “recebendo crédito” pelos seus serviços/desserviços.

Oras, é lógico que incompetências de figuras como Doria e Covas devem ser investigadas. Mas sem dúvida alguma o principal responsável pelo caos onde estamos hoje é o Bolsonaro. Faz todo o sentido uma investigação específica contra a sua gestão. Ele que atentou com unhas e dentes a qualquer lampejo de sanidade, que fossem vindos de sua própria gestão. Não se justifica diluir as investigações.

Centrão sendo centrão

Vale notar que o centrão está sendo centrão. Eles, que dominam ambas as casas, fazem jogo duplo quanto à CPI. O próprio presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, chegou a afirmar em coletiva de imprensa ser contrário à ideia. Obviamente ele não quer se comprometer com o “chefão”. Ao invés disso faz jogo duplo esperando pela oportunidade de trocar apoio pleno por verbas ou cargos. O jogo de sempre.

Não se trata, portanto, de elogiar nenhuma das figuras envolvidas. O que vemos é apenas o naufrágio anunciado de um navio que já se chocou há tempos contra o Iceberg. O capitão negou o problema. Fingiu que não era com ele. Agora a água pelo menos bate na bunda dele. Acuado, Bolsonaro é exposto por sua covardia com a CPI. Ainda dá tempo de nos salvarmos, ou o navio chamado Brasil está além de qualquer reparo?

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Facebook
Twitter
Facebook
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para além de combater a Covid, vamos combater o neoliberalismo

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho