Carta ao Secretário da Educação Bruno Caetano

Transporte escolar pelo mundo: conheçam os desafios que as crianças enfrentam para conseguirem ir às suas escolas

 

Por Chico Barciela

Coletivo Formiga

 “Venceremos se não tivermos desaprendido a aprender sempre”

Rosa Luxemburgo

Há algumas décadas construiu-se uma política pública, até então, inimaginável para muitos nesta cidade de São Paulo; o acesso de crianças transporte escolar gratuito, conhecido como Vai e Volta. O que era para poucos privilegiados e bem nascidos, passou a ser para todos. Uma grande transformação: pobre indo de carro para a escola.

De lá para cá muita coisa mudou. O que se vê agora é uma restrição cada vez maior do acesso das crianças ao transporte, com exigências e legislações descabidas, além de um descaso e desrespeito sem fim para com o transportador escolar. Nesta espécie de transformação negativa a Secretaria de Educação tem jogado um papel decisivo, sendo o principal protagonista da desconstrução de uma política reconhecida como fundamental para o aprendizado de nossas crianças. Omissão, incapacidade, insensibilidade, desconhecimento, desleixo e o que mais possamos pensar de “virtudes negativas” tem sido um tratamento que o TEG tem recebido, sobretudo dos atuais representantes da Secretaria de Educação. São tios, tias, pais, mães avós e criança, meninos e meninas desrespeitados em seus direitos constitucionais. Ousamos dizer: o que vemos é uma prática criminosa por parte de “autoridades” que nem serão chamadas à responsabilidade!!

“Temos certeza que os ‘senhores da educação’ se surpreenderiam com as histórias que sabemos de ‘vossas crianças'”

Como consequência a sensação que é passada é a do transporte escolar sendo visto como um incômodo para a educação. Parece que estão fazendo um favor a nós pais e as crianças. Pensamos exatamente o contrário, nós, mais do que ninguém, estamos do lado de fora dos muros e grades das escolas; estamos também dentro, estamos nas casas, nas favelas, e cortiços; estamos nos barracos e morros, vilas e rincões das periferias desta cidade desesperada e largada. Olhamos, observamos e cuidamos dessas crianças como poucos. Temos certeza que os “senhores da educação” se surpreenderiam com as histórias que sabemos de “vossas crianças”, caso parassem um pouquinho para nos escutar. Porém é mais fácil, menos trabalhoso nos tratar como algo fora, fora da educação. Mas é impossível, pois também aprendemos depois destes anos todos que fazemos parte do tal sistema educacional com seus cargos carreiras, pedagogias claro!! Educacionais!!

Viemos para permanecer e ficar, onde quer que se olhe na paisagem urbana ou rural veremos uma Van ou ônibus com suas faixas amarelas, andando por este Brasil afora. Por fim, é claro, lutamos por nossa sobrevivência e por melhores condições econômicas, afinal somos profissionais e não são poucas as exigências e qualificações que temos que cumprir, e como se não bastasse vivemos tempos nefastos, que sem, dúvidas, os senhores ajudam a construir, mas isso é conversa para outras oportunidades.

“não aguentávamos mais tanta humilhação; de lá até hoje aprendemos muito, mas sobretudo aprendemos a nos valorizar e que juntos somos fortes.”

O transporte escolar (TEG), entretanto, não tenham dúvidas do nosso envolvimento com estas crianças e seus sonhos e histórias, tristezas e alegrias, sorrisos e lágrimas, eles são nossa grande paixão que nos move todos os dias para iniciarmos nossas jornadas, a maioria de nós antes do sol nascer, com chuva ou sem chuva, na lama ou nos asfaltos, na saúde e na doença lá estamos.

Janeiro, agora, vai fazer dois anos que ocupamos a secretaria de educação. Mal começava o governo Dória, foi um ato quase que de desespero, pois não aguentávamos mais tanta humilhação; de lá até hoje aprendemos muito, mas sobretudo aprendemos a nos valorizar e que juntos somos fortes.

Hoje a situação está pior: sem contar a crise econômica que se agrava com todas as suas consequências para quem vive do trabalho como nós, a Secretaria de educação restringe cada vez mais o acesso das crianças ao transporte. O ela promove é uma política deliberada e organizada na cidade toda com transferências e fim de barreiras, um verdadeiro extermínio que coloca em risco nossas crianças e a continuidade de um projeto que já foi referência internacional.

“juntos ao Toninho, nós estamos reagindo!”

Do nosso lado estamos de olho e acompanhando tudo atentamente, aqui na Câmara Municipal De São Paulo. O vereador Toninho Vespoli acompanha todas as maldades da secretaria e já convenceu o conjunto dos vereadores de que é preciso pôr um fim a isso. Há algumas semanas atrás chamou a representante da educação para ser ouvida em comissão. Ouvimos somente mentiras e mais mentiras. Mas juntos ao Toninho, nós estamos reagindo! Providências estão sendo tomadas: delegacias de ensino estão sendo convocadas para prestar esclarecimentos e, principalmente, um projeto que põe fim às transferências enganosas e reduz a quilometragem mínima para o TEG, já está pronto para ser votado.

Queremos dizer a todos que assumimos a pauta transporte escolar plenamente e não permitiremos nenhum desrespeito a quem quer que seja que faça parte desta comunidade. Qualquer delegacia de ensino, Emei ou Emef quem quer que seja sofrerão consequências se ousarem quebrar o direito legal das crianças desta cidade poderem ir à escola em paz e tranquilidade com menos riscos.

RESISTIREMOS E VENCEREMOS!!!

5 comments on “Carta ao Secretário da Educação Bruno Caetano

  1. MariaHelena de Souza Borges disse:

    Pq todo final de ano temos que ficar de cabeça quente pensando como será o ano que vem?, nunca conseguimos passar umas férias em paz, isso é desgastante, precisamos de sossego, como vamos trabalhar se nem descansamos direito?

  2. Hélio José Silva disse:

    Fora as barreiras físicas que existe e eles ignora obrigando a mãe.
    Mudar de endereço ou de escola

  3. jacsontransportes@hotmail.com disse:

    Boa tarde, acho que a história teg ou vai e volta ja é uma transação
    Lucrativa para ambos como tio que ja estão e tio que começaram agora ninguém pensa no bem estar da carência da famílianecessidadesta verdadeira mente de transporte gratuito
    Nem os políticos os governantes nem , , só pensam em lucros em tira proveitos de nos tios escolar como , saiu em uma denúncia que recebemos 30, 000.00 mes sendo que estou a 9 anos e meu maior salario foi de 6, 200.00 reais ai te pergunto pra onde foi os 23, 800.00 reais restante foi pro bolso de alguém , ,sabe ja estou cheio de fazer o elhor para manter um melhor desempenho de meu serviço ninguém respeito mais os tios e tias pais fazer nos de palhaço co essa autonomia , auroridadeara escolher quem irátransportear o filho ou filha , hoje eles entregam para quem pagar melhor com dinheiro ou cestas , generalizou pai pega dinheiro ou o que for melhor não entereça se otio tra bem ou mal

  4. edson disse:

    ok ,estamos juntos e misturados

  5. Antononio Laurindo disse:

    Boa Tarde, Faço dessa, as minhas palavras, parabéns aos interessados em deixar isso muito claro. Todos juntos venceremos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça parte da nossa rede