O silêncio ao desmonte da educação inclusiva

O silêncio ao desmonte da educação inclusiva

Saiba como o governo está destruindo a educação inclusiva no Brasil!

Na organização da posse do atual presidente fizeram questão de uma palinha de libras com a primeira-dama e a sinalização de que a Educação de pessoas com deficiência seria uma preocupação real. Nem é preciso entrar em detalhes com o que temos visto na pasta dos Direitos Humanos e na Educação, inclusive com o Fundeb sempre ameaçado e, na prática, a demonstração de verdadeiro ódio pelos temas. Nos últimos dias foi publicado o decreto 10502∕20 e que já é considerado o maior retrocesso na Educação Inclusiva, ou seja, para todos.

Desde 2008 com a Política Nacional de Educação Especial na perspectiva de Educação Inclusiva foi resguardado o direito dos diferentes conviverem e aprenderem juntos. Ora não existe um mundo para o público da Educação Especial e um mundo para os ditos “normais”. O mundo é um só e o direito de todos precisa ser garantido, observadas as especificidades, mas com a grandeza da troca, do afeto e dos desafios provocados pelos diferentes.

Outros caminhos…

Antigamente era comum ouvir profissionais da Educação dizerem que não estavam preparados; relatos de crianças que não queriam ser “da sala especial” nas escolas com horário diferente, intervalo diferente e com os olhares apreensivos; famílias que literalmente escondiam os filhos em casa; Hoje falta sim melhorar estrutura e acessibilidade de alguns locais, luta para aumentar o número de AVEs nas Unidades e de estagiários nas escolas. Mas quem hoje olha aquele pequeno com paralisia pulando corda com os colegas no intervalo, outro correndo para jogar a bola para a colega cadeirante ou as apresentações nas festividades com todos juntos, com suas potencialidades valorizadas e suas diferenças respeitadas e entende que esse não é o caminho?

O referido decreto propõe o retorno de escolas específicas ( chamadas de centros especializados ou pólos) para receberem público da Educação especial, categorizando e promovendo a segregação, pintadas com um fundo de cuidado.

Tal medida é inconstitucional, fere a dignidade humana, fortalece a terceirização da Educação Especial e nos ataca enquanto sociedade civilizada.

Propor e decretar algo nessa linha só não nos surpreende tratando-se do contexto político que vivemos. Mas entristece e indigna quem conhece e luta por uma sociedade com inclusiva e humana. Será que existe fim esse poço? O presidente parece mais um Midas (personagem mitológico que transformava tudo o que tocava em ouro) ao contrário…

Vivian Alves Nunes

Vivian Alves Nunes

Vivian Alves é diretora de escola na Rede Municipal de Educação, historiadora, pedagoga e ativista. Atualmente faz parte da caravana da educação do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho