Por uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade na cidade

“OUVIR É O CAMINHO PARA REALIZARMOS O CARÁTER POPULAR DA NOSSA CONSTRUÇÃO E EXECUÇÃO!”

 

A partir do processo de escuta realizado pelo Professor Toninho Vespoli, elaboramos propostas para um cidade mais educadora. A seguir estão os pontos propositivos reunidos em nossa carta manifesto que busca orientar o futuro mandato popular da educação na cidade de São Paulo.

 

Pontos em comum da construção coletiva

– Promover uma cidade educadora (acesso à cidade)

– Garantir as chamadas dos concursos públicos

– Valorizar a rede direta municipal de educação

– Lutar contra ataques no legislativo (como homescholling)

– Conscientizar sobre a importância ao serviço público e da escola pública

– Garantir trabalho digno para todas as categorias que trabalham nas escolas

 

Soluções e ideiais apresentadas

  1. Maior integração entre os equipamentos públicos e as comunidades (Escola, Posto de Saude, CAPS, Conselho Tutelar, Vara da Infância, SAS e etc)
  2. Merenda de pequenos agricultores com fruta, verduras, suco integral na merenda
  3.  Aumentar efetivo da GCM nas escolas contra depredação, invasões e assaltos
  4. Promover a universalização do acesso à internet das polítcas de inclusão digital nas escolas e comunidades
  5. Aumentar investimentos estruturais, recursos tanto físico quanto humano na rede de ensino
  6.  Mobilizar servidores da rede diante do confisco salarial como ocorrido no SampaPrev


A necessária atuação de um mandato popular da educação

– O mandato do vereador, Professor Toninho Vespoli, junto à Caravana dab Educação, atualmente vem travando uma árdua luta contra esses brutais ataques em nosso Município

– Nossa Luta e resistência são necessárias e talvez a única chance na preservação do pouco que resta ao profissional da educação das suas conquistas trabalhistas! Toninho Vespoli, vem construindo de forma ímpar uma atuante mobilização de enfrentamento às políticas desumanas do (des)governo de Bruno Covas, bem como a má gestão da SME sob a direção de Bruno Caetano.

– O Vereador é membro da Comissão de Educação, Cultura e Esporte da Câmara Municipal de São Paulo, parlamentar que ajudou na elaboração do plano Municipal de Educação, tem sua atuação, entre outras ações pontuais, voltada para a Educação Pública e, com a Caravana da Educação, desenvolver um trabalho de base, construindo junto aos profissionais que atuam nas escolas municipais, uma escuta da realidade local e suas necessidades, visitando pessoalmente essas regiões, em sua maioria periféricas, muitas vezes esquecidas pelos órgãos responsáveis. Assim, Toninho Vespoli, mantém seu mandato popular, através de uma construção com as bases, de fato dialogando com a população.

 

A Caravana da Educação com Toninho Vespoli 

– Visitamos mais de 300 unidades escolares, entre elas CEIs, EMEIs, EMEFs, CEUs,EMEBs, CIEJAs e DREs;

– Seguiremos registrando, cobrando, levando as queixas e direcionamentos das ações que entendemos serem legítimas aos poderes públicos. Como no caso do Homeschooling, Vouchers na educação infatil , desmonte do MOVA;

– A discussão sobre a educação domiciliar ganhou centralidade nos debates sobre as políticas educacionais no atual governo federal o que tem reverberado nos estados e municípios. Essa centralidade, do ponto de vista pragmático, é completamente injustificável;

– Não estamos discutindo a capacidade que cada família tem de educar seus filhos ou não, pois reconhecemos que há uma dimensão educativa que está sob a responsabilidade da família. Estamos sim reafirmando o que há décadas vem sendo defendido pelos especialista da área da educação: a escola tem um dimensão de aprendizagem que é incapaz de ser assumida por outra instituição;

 

O futuro que regride 

– Tendo como base hipotética de que as filas da Educação de 0 – 3 anos fossem zeradas com essas ações anunciadas pelo governo para o ano de 2020 seria importante ainda pensar em outro ponto: em pouquíssimo tempo essas crianças estarão em idade de estudar em EMEIs e EMEFs. Sem a construção de novas escolas para onde vão essas crianças? O caminho será aumentar o número de estudantes por sala de aula? Destituir mais espaços pedagógicos nas Unidades Escolares para suprir a demanda ou ampliar o público dos vouchers?

– Estamos cheios de questionamentos e sem caminhos plausíveis para amarrar as propostas anunciadas pelo governo. É exatamente assim que tem sido o trabalho dessa atual gestão: Cheio de decisões imediatistas e unilaterais com a única estratégia pautada em fazer marketing e não pensar com seriedade no atendimento de qualidade a nossas crianças na maior rede de Educação do país. Covas quer terceirizar a educação, a qualquer custo. O público afetado serão crianças da primeira infância, com Educação não se brinca!

– Outro alvo recente de Covas foi o projeto MOVA, que há mais de 30 anos acolhe jovens e adultos que não tiveram acesso à educação formal. Por meio do decreto Nº 59.321, a prefeitura suspendeu os pagamentos e os repasses feitos aos programa, o que inviabiliza a continuidade do projeto.Para barrar esse retrocesso, a deputada Sâmia Bomfim e o vereador Toninho Vespoli, do PSOL, acionaram o Ministério Público e pediram medidas cabíveis contra as ações de desmonte da prefeitura de São Paulo.

 

“Seria uma atitude ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvessem umaforma de educação que proporcionasse às classes dominadas perceberem as injustiças sociais de maneira crítica.” Paulo Freire

 


A partir do processo de escuta realizado pelo Professor Toninho Vespoli, elaboramos propostas para um cidade que valorize o funcionalismo público municipal e também os serviços públicos da cidade. A seguir estão os pontos propositivos reunidos em nossa carta manifesto que busca orientar o futuro mandato popular em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho