corrupção

Tem dinheiro pra politicagem mas não tem para o auxílio!

Tem dinheiro pra politicagem mas não tem para o auxílio!

Saiba quem foram os políticos de São Paulo que votaram A FAVOR do fundão eleitoral, e saiba porque o PSOL votou CONTRA!

Foi aprovada lei que quase triplica o fundo eleitoral para 5,7 bilhões de reais! Isso mesmo, significa que em meio a uma pandemia com mais de meio milhão de mortos e 33,2 milhões sem emprego, a prioridade de Bolsonaro é comprar apoio do centrão com verbas eleitorais. Para ele, isso é mais importante que, por exemplo, pagar auxílio emergencial à população pobre! Este movimento ocorre, na verdade, porque ele quer se blindar de um processo de impeachment. A mensagem que Bolsonaro manda é clara: tem dinheiro pra politicagem mas não tem para o auxílio!

Milhões de brasileiros estão se sacrificando. 33,2 milhões de brasileiros estão desocupados, a fome volta a assolar o país com mais de 115 milhões de brasileiros com alguma dificuldade para pôr comida na mesa. Quem é pobre já está se sacrificando. Os ricos, e parte da elite política, por outro lado, parecem mais focados em garantir seus próprios interesses. Só durante a pandemia o número de bilionários saltou de 45 para 65! Enquanto o povo se sacrifica, os ricos fazem a festa! Estes caras têm que ser atacados, e o mandato do Toninho Vespoli está sempre atento e crítico a este tipo de absurdo!

Mas reconhecer o banquete dos ricos não pode nos impedir de olhar para o que ocorre nas cúpulas partidárias. O projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) da República foi aprovado, e prevê um aumento em 3,7 bilhões de reais para o fundo eleitoral, totalizando 5,7 bilhões! Ou seja, quer dizer que durante uma pandemia mortal, em que toda a hora falam que “não tem dinheiro” para programas sociais, os caras querem praticamente triplicar verbas para propaganda! Tem dinheiro pra politicagem mas não tem para o auxílio! Só o valor do aumento seria o suficiente para mais de 6 milhões de rendas emergenciais de 600 reais cada! É imoral um aumento assim durante um período tão frágil para o país!

O PSOL, como sempre, representou os interesses do povo. Os deputados de São Paulo pelo partido, a Luiza Erundina, o Ivan Valente, e a Sâmia Bomfim, votaram todos contra o aumento imoral! No Twitter Sâmia Bomfim denunciou o absurdo, ainda aproveitando para cutucar a base fascista de Bolsonaro “O Congresso Nacional votou a Lei de Diretrizes Orçamentárias com o aumento do fundão eleitoral para quase R$6 BILHÕES, no meio de uma crise econômica, em que o povo brasileiro sequer tem dinheiro pra comer. E adivinha quem votou SIM? A tropa do Bolsonaro. PSOL votou contra!”

E trás muito estranhamento a postura da turma do Bozo. Os caras se elegeram dizendo que iriam “acabar com o fundo eleitoral”. Mas na hora de comprar apoio de políticos eles aumentam de bom grado o valor! Acompanha a lista dos deputados federais de São Paulo que votaram A FAVOR de triplicar o fundão!

Abou Anni (PSL-SP)

Alex Manente (Cidadania-SP)

Alexandre Leite (DEM-SP)

Arnaldo Jardim (Cidadania-SP)

Bozzella (PSL-SP)

Bruna Furlan (PSDB-SP)

Capitão Augusto (PL-SP)

Carla Zambelli (PSL-SP)

Carlos Sampaio (PSDB-SP)

Celso Russomanno (Republicanos-SP)

Cezinha Madureira (PSD-SP)

Coronel Tadeu (PSL-SP)

David Soares (DEM-SP)

EduardoBolsonaro (PSL-SP)

Eli Corrêa Filho (DEM-SP)

EuclydesPettersen (PSC-MG)

Fausto Pinato (PP-SP)

General Peternelli (PSL-SP)

Geninho Zuliani (DEM-SP)

Guiga Peixoto (PSL-SP)

Guilherme Mussi (PP-SP)

Henrique Paraíso (Republicanos-SP)

Herculano Passos (MDB-SP)

Jefferson Campos (PSB-SP)

Luiz Carlos Motta (PL-SP)

Marcio Alvino (PL-SP)

Marco Bertaiolli (PSD-SP)

Marcos Pereira (Republicanos-SP)

Maria Rosas (Republicanos-SP)

Miguel Lombardi (PL-SP)

Paulo Freire Costa (PL-SP)

Policial Sastre (PL-SP)

Pr Marco Feliciano (Republicanos-SP)

Renata Abreu (Podemos-SP)

Ricardo Izar (PP-SP)

Ricardo Silva (PSB-SP)

Roberto Alves (Republicanos-SP)

Vanderlei Macris (PSDB-SP) 

Vinicius Carvalho (Republicanos-SP)

Vitor Lippi (PSDB-SP)

O PSOL, diferentemente, possui uma postura muito consistente. Sempre foi favorável a algum tipo de verba eleitoral, capaz de garantir acesso a verbas para campanha para aqueles que não podem pagar por isso. Mas em meio a uma pandemia, um valor obsceno de quase 6 bilhões é um insulto ao povo que volta a passar fome! Quando se trata de comprar apoio, Bolsonaro deixa clara as suas prioridades: tem dinheiro pra politicagem mas não tem para o auxílio!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Ricardo Nunes é um desserviço à cidade!

Ricardo Nunes é um desserviço à cidade!

Entenda qual ruim para São Paulo é ter um prefeito como o Ricardo Nunes!

Após a triste morte de Bruno Covas, Ricardo Nunes assumiu a prefeitura de São Paulo. A notícia é trágica. Ricardo Nunes é um político acusado de corrupção nos esquemas das creches escolares, contrário ao debate sobre gênero nas escolas, e ainda se fingiu de pobre para conseguir roubar terras para pecuária bovina! É o pior da política paulistana! Ricardo Nunes é um desserviço à cidade!

Ricardo Nunes e a máfia das creches

Lembram do escândalo que foi a máfia das creches escolares? Alguns grupos de direito privado foram acusados de desviar recursos da prefeitura que deveriam ir para as creches do sistema de parcerias. Ricardo Nunes é investigado pelo Ministério Público por denúncia de aluguéis irregulares em meio ao “esquema”. Além disso, sua empresa de dedetização, a Nikkey, fez contrato sem licitação no valor de 50 mil reais com a prefeitura.

Ricardo Nunes e o fundamentalismo

Primeiramente é importante reconhecer a riqueza cultural propiciada por uma cidade com a existência de diversas fés. Toninho Vespoli, católico, sempre lutou pela diversidade religiosa, pela tolerância e contra a discriminação sexual e de gênero. Ricardo Nunes é o oposto disso. Em São Paulo foi um dos articuladores do projeto extremista “escola sem partido”. Para quem não se lembra, o projeto de retórica fascista, além de tentar jogar a população contra os professores, proibiria a discussão de questões de sexo e gênero nas escolas, dificultando o combate contra a discriminação. No mesmo sentido, em 2015 Ricardo Nunes foi conta a inclusão do debate sobre sexo e gênero no Plano Municipal de Educação.

Ricardo Nunes se fez de pobre para ter propriedades!

Olha a ironia? E é a esquerda que é acusada de invadir terras dos outros. Acreditem ou não, enquanto recebia como vereador de São Paulo, Ricardo Nunes chegou a arranjar um atestado de pobreza para conseguir garfar duas propriedades! Aconteceu assim: Nunes ocupava ilegalmente duas áreas que não eram dele. Para conseguir fugir da justiça o atual prefeito de São Paulo arranjou um atestado de hipossuficiência (atestado de pobreza) para poder alegar usucapião nas propriedades que ele ocupava. 

O usucapião é, em princípio, uma coisa boa, uma ferramenta para pequenos fazendeiros pobres conseguirem garantir terras para seu sustento. A ideia é simples e justa: se você ocupa e cuida de uma área para a qual ninguém mais liga, a justiça a reconhece como sua. Mas Ricardo Nunes deu um jeito de distorcer completamente a legislação para garfar grandes lotes de terra para a criação agropecuária. Percebam o contraste: enquanto a esquerda luta para que terras improdutivas sejam dadas para quem planta a nossa comida e quem mais precisa, os ruralistas lutam para roubar terras para o cultivo de commodities de preço baixo, principalmente para a exportação.

Ricardo Nunes é um desserviço à cidade!

Para além de questões políticas divergentes, que podem e devem ser debatidas dentro de uma democracia, Ricardo Nunes representa o pior que a política tem a oferecer. O novo prefeito é conservador, suspeito de corrupção, e ainda adquire terras de formas bem questionáveis.. Que o povo paulistano tenha garra para resistir a tamanho desastre!

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Para Bruno Covas praça de rico vale mais que a vida de pobres

Para Bruno Covas, praça de rico vale mais que a vida de pobres

Entenda o que Toninho Vespoli está fazendo para fiscalizar a reforma faraônica do Vale do Anhangabaú

Enquanto nega dar o amparo necessário à população carente, a prefeitura de São Paulo prefere gastar o dinheiro público com uma reforma cara, feia e possivelmente superfaturada na praça do Anhangabaú, no centro. Para Bruno Covas, praça de rico vale mais que a vida de pobres. Para dar um basta nos abusos Toninho Vespoli ativou o Ministério Público, o TCM e luta para a criação de uma CPI na Câmara Municipal.

Anhangabaú, da feliz cidade

O vale do Anhangabaú sempre foi conhecido por habitantes do centro como uma das poucas áreas verdes restantes na região. Até a reforma, a vista para o vale revelava a suave confluência de três rios que banhavam áreas de árvores e gramados. Não há dúvida de que a área precisava de alguma manutenção. Assim como a maioria das áreas públicas da cidade, Bruno Covas também abandonou o vale. Ainda assim, medidas simples de zeladoria como poda da grama e das árvores, manutenção e colocação de bancos, limpeza do lago natural do vale entre outras coisas simples e baratas bastariam para ressaltar a beleza e exuberância da região.

Bruno Covas não gostou. Queria por que queria gastar dinheiro público em uma reforma total na área. Uma mudança feia, de um “modernismo” datado e bruto. As reformas incluem o soterramento dos rios na região, em preferência de um estilo cinza e feio. Por que as mudanças? Só podemos especular. Mas é bem possível que tenha relação com os interesses de imobiliárias no centro. O plano talvez fosse o de criar uma área elitizada de lazer e turismo, e ao mesmo tempo tornar o ambiente concretado e hostil para a população de rua. 

Na esquerda como era e na direita como ficou

Reforma sem fim

Sejam quais fossem as motivações, Bruno Covas colocou, até agora, 105,6 milhões do dinheiro público na reforma. E detalhe: o valor já é 32% maior do que o combinado no momento da contratação. E isso porque a reforma ainda nem está pronta! Era para a obra ser finalizada em junho de 2020. Atrasou, em teoria, para o dia 30 de outubro. Na data, a prefeitura declarou haver necessidade de “ajustes finais”. A pandemia serviu como panaceia dos incompetentes: é a justificativa oficial para os atrasos.

Não há dúvida de que os gastos com a reforma são mal esclarecidos e desproporcionais. O Tribunal de Contas do Município concluiu isso em relatório próprio, de agosto de 2020. Como reação ao relatório, a prefeitura interrompeu as obras, apenas para retomá-las semanas depois.

Toninho Vespoli diz basta!

Para o Professor Toninho Vespoli isso tudo foi demais. Já durante a pandemia a prefeitura que nega caixa para auxiliar a população mais carente, alegando falta de dinheiro, foi gastar mais de 100 milhões em uma reforma desnecessária de uma praça para os riquinhos do centro? Isso ainda em um projeto feio com problemas estruturais e ambientais. A própria natureza fez questão de protestar: dia 31 de outubro, no dia seguinte a uma das muitas datas de entrega da reforma, uma chuva (nem particularmente forte) fez a praça amanhecer alagada. É lógico! É isso que acontece quando se concreta uma área banhada por rios!

Para Bruno Covas, praça de rico vale mais que a vida de pobres. E é assim que ele escolhe gastar o dinheiro do povo. Toninho Vespoli não vai deixar quieto. 

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Deputados trocam apoio a Bolsonaro por verbas extras!

Deputados trocam apoio a Bolsonaro por verbas extras!

Entenda como a corrupção de Bolsonaro acontece a céu aberto!

Oras então. Aí está a tal da “nova política”. É na verdade a mesma coisa que a velha, só que de forma mais descarada! Logo depois de Bolsonaro dizer que criaria Ministérios em troca de apoio nas votações para presidente da Câmara e do Senado, deputados trocam apoio a Bolsonaro por verbas extras! E da maneira mais escancarada possível! Foram, ao todo, 3 bilhões de reais destinados a 285 deputados federais!

Lá se vão os dias dos grupos secretos do Telegram e das reuniões a sete chaves de políticos influentes. Agora, de fato, a coisa é diferente. A nova política chegou! Nessa eleição para presidente da Câmara dos Deputados Federais, circulou entre os parlamentares com uma planilha dos nomes dos deputados e os valores a eles alocados. Tudo da maneira mais escancarada possóvel. A própria mídia oficial teve acesso à planilha. A corrupção no Congresso está como o esgoto em São Paulo: a céu aberto! O Planalto fede em sordidez.

O cara quer se salvar

As verbas, no caso, são trocadas por votos para o Presidente da Câmara dos Deputados. Acontece que até as trocas acontecerem, o candidato apoiado por Bolsonaro estava perdendo. Agora, após uma rápida compra, os placares viraram. O candidato Baleia Rossi, em teoria representante de uma tímida “oposição” a Bolsonaro, ameaçava abrir o processo de impeachment contra o Bozo. Então, no caso, a compra de votos é para salvar a própria pele do Bolsonaro.

Acordos assim não são incomuns na política. Ocorrem, inclusive, em todas as casas dos poderes políticos, desde o Congresso nacional, até as Câmaras Municipais. O Toninho mesmo já denunciou diversos esquemas aqui em São Paulo. Mas antigamente os políticos buscavam, ao menos, disfarçar um pouco as coisas. É irônico pensar que justamente aquele que se vendeu como a “nova política” parece comprometido em preservar o que há de pior na política. A corrupção e o elitismo do Congresso Nacional.

O cenário não é esperançoso. Bolsonaro precisa cair, mas para isso acontecer não bastará ação no parlamento. Mais do que nunca na história do Brasil, é fundamental que o povo e una para lutar contra a tirania! Democracia de farda é ditadura militar. É este o cenário ao qual nos aproximamos. Tem hora para o diálogo. Agora é hora da Luta!

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

A tal da nova política…

A tal da nova política...

Entenda porque Bolsonaro mentiu para você quando falou da nova política

Bolsonaro fez a sua eleição prometendo “acabar com a corrupção e a velha política” (sic.). Até dá para entender porque parte do eleitorado caiu na ladainha. De fato, há décadas os políticos governam cada vez menos com o povo e cada vez mais em conchavos com velhos coronéis. É verdade, ainda, que o próprio PT, partido de esquerda com maior bancada no Congresso, se iludiu com os acordos internos. É compreensível parte do povo se sentir traído pela esquerda. O Bolsonaro se alimentou dessa indignação para entregar mentira atrás de mentira. Agora, com o Congresso revisitando o impeachment do Bozo, ele fala de criar mais ministérios para dar cargos para o centrão. Não era a tal da nova política?

Ninguém é santo, mas só um é o capeta

Antes que comecem a tocar o disco riscado do “mas e o PeTê”, que fique claro que o Partido dos Trabalhadores também merece críticas pela criação de ministérios em troca de apoios. Sim, a postura foi errada, e representou uso irresponsável do dinheiro público. Mesmo quando se tratando de ministérios de criação importante e necessária (como, por exemplo, o Ministério da Mulher), fica na cara que um dos objetivos era indicar parlamentares do centrão para cargos, em troca de apoio em votações.

Mas o que torna as declarações de Bolsonaro particularmente bizarras é que uma das grandes promessas dele (talvez a única mais ou menos “concreta”) tenha sido “diminuir o tamanho do Estado”. Ainda assim agora ele declara de forma escancarada que pretende criar ministérios em troca de apoio no Congresso. Foi isso que ele revelou em um evento fechado, mas transmitido por seus filhos em redes sociais:  “Se tiver um clima no Parlamento, pelo o que tudo indica as duas pessoas que nós temos simpatia devem se eleger, não vamos ter mais uma pauta travada, a gente pode levar muita coisa avante quem sabe até ressurgir os ministérios”. Ou seja, está falando com todas as letras que condiciona pautas que ele defende no Congresso à criação de ministérios!

Não ia “diminuir o estado”?

Mas e quanto a “diminuir o tamanho do Estado”? A resposta a essa queixa também mudou, em impressionantes 180 graus: “Alguém pode falar ‘ah, quer criar ministério de novo’. O tamanho do Brasil, pessoal, só o Brasil é maior que toda a Europa Ocidental”, disse o Bolsonaro, no mesmo evento. Ou seja, de “diminuir o tamanho do Estado”, foi para aumentar o Governo em troca de apoio no Congresso!

Essa entrevista se dá em momento tenso para a sua gestão. Estão para ocorrer as eleições para presidente da Câmara dos Deputados Federais, e para presidente do Senado Federal. A disputa, em ambas as casas, se dá entre figuras aliadas expressas de Bolsonaro, e outras mais ligadas ao “centrão” do Congresso Nacional. A questão chave é que os candidatos mais próximos ao centrão estão considerando dar continuidade aos pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro. Ele falar de criar Ministérios nesse contexto, a depender da eleição de “duas pessoas que nós [a gestão Bolsonaro] temos simpatia” é uma forma de ele tentar trocar cargos no Ministério, em troca de apoio contra o seu próprio impeachment. Ou seja, a mais velha política possível.

Governar um país não é fácil, e lógico que em alguns momentos acordos e trocas tem que ocorrer. Mas houve uma séria perda de qualidade. O cara nem disfarça. É essa a única coisa de “nova” na tal da nova política: um aumento na cara de pau.

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

A Corrupção Acabou?

A Corrupção Acabou?

Saiba um pouco sobre mais esse grande escândalo de corrupção!

“A corrupção acabou” Foi a frase mais engraçada proferida pelo presidente da república, Jair Bolsonaro. Hoje as contas do Governo Federal acumulam polêmicas. Uma das contratações mais curiosas, talvez tenha sido a compra de 15 milhões de reais em leite condensado.

Os escândalos nas contratações foram escancarados, pela primeira vez, a partir de matéria do Jornal Metrópoles. Desde então inúmeras agências de notícias, investigadores e civis independentes checaram e confirmaram as informações contidas nas denúncias. Em essência, tudo se resume a um laranjal de micro e pequenas empresas que movimentam quantias milionárias em contratos sem licitação com órgãos do Governo Federal.

 

Um dos casos curiosos, desvendado pelo perfil no Twitter de @boscadin, é o da empresa “Saúde e Vida Comercial de Alimentos Eireli”. A empresa foi contratada pelo valor de 12 milhões. Apesar do alto valor movimentado, a empresa está inscrita como microempresa individual, no nome de Azenate Barreto. Mesmo com a empresa sendo sediada em Brasília, Azenate Barreto vive em Campos dos Goytacazes, RJ. Familiares da “empresária”, seu marido e seu filho, também são donos de microempresas individuais, que também moveram dezenas de milhões de reais em contratos com o Governo. Ambos os parentes também moram em Campos de Goytacazes.

Esse caso é estranho por si só. Mas não é o único. Outro, também, bastante curioso, é o da empresa Freedom Soluções em Serviços LTDA. Apesar de existir há pouco mais de 10 meses, já firmou com o Ministério da Defesa de Bolsonaro contrato no valor de 472,7 milhões de reais para serviços de “consultoria”! E as estranhices não param por ai: o endereço registrado da empresa é …. Isso já seria curioso por si só. Uma empresa que move quase meio bilhões de reais se localizar em uma loja de um prédio comercial na cidade de menos de 20 mil habitantes de Porto Real, Rio de Janeiro. Mas a coisa fica completamente inexplicável quando é verificado que no endereço indicado não existe nada. Zero. Nem ao menos um prédio mequetrefe. O endereço fornecido é o de uma estrada de terra.

A coisa provavelmente vai muito mais longe que isso. E todos os que chegaram aqui são convidados a pesquisarem no site do Portal da Transparência para ajudar na apuração. Mas o que surpreende é a cara de pau da família Bolsonaro. Em resposta a essas acusações o melhor que Eduardo Bolsonaro (filho do Jair) conseguiu pensar em fazer foi sair em defesa d direito dos milicos de comerem leite condensado! Ele acha, ou finge achar, que é esse o problema, e não o fato das contratações terem pouca transparência, e envolverem empresas que não deveriam ter condições para moverem tanto dinheiro quanto movem.

Marcelo Freixo, Deputado Federal do PSOL RJ, quer abrir uma CPI para investigar esses e outros absurdos. As compras são mais do que estranhas. Ao todo estamos falando de 1,8 bilhão só em compras de supermercado pelo Governo Bolsonaro. Para se ter uma ideia de quão grosseiramente absurdo é o número, isso daria 500 reais por funcionário público que trabalha no Distrito Federal por mês! O suficiente para cada funcionário fazer um belo de um supermercado!

Com alguma sorte mais dados vão surgir sobre esse mega escândalo de corrupção. Será que vai ser o suficiente para, enfim, retirarem o Bolsonaro do poder? Ou será que, mais uma vez, o Congresso vai ser conivente, virar as costas, e fingir que não é com eles? E então Jair, a corrupção acabou?

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Por Que Bruno Covas Não Merece uma Segunda Chance

Por Que Bruno Covas Não Merece uma Segunda Chance

Saiba porque não podemos deixar covas ganhar em São Paulo!

Contra toda a máquina da direita, Boulos chegou no segundo turno! Agora, com tempo igual de debate e de horário eleitoral, o povo vai logo entender por que Bruno Covas não merece uma segunda chance! O cara parece ter relações um tanto questionáveis com creches corruptas e contratações suspeitas, além de ter deixado de cumprir a maioria de suas promessas de campanha e estar piorando a educação pública e os serviços públicos! Entenda por que você não deve votar no Covas!

Ele desmontou o programa Leve Leite!

Sua gestão reduziu em 71% o número de crianças atendidas pelo Leve Leite! Muitas crianças não tem, literalmente, dinheiro para comprar leite. Desde que Doria foi eleito, o PSDB está diminuindo a prestação do serviço. Covas, depois que Doria abandonou São Paulo, continuou as ações de seu padrinho político. Hoje, em momento de crise econômica e sanitária, manter o bloqueio do Leve Leite às crianças coloca muitas mães e pais em uma situação trágica! Esse tipo de política não merece seu voto de confiança!

Colaborou com a Máfia dos Transportes!

A Máfia dos Transportes é a principal razão para os ônibus em São Paulo serem ruins e caros. Segundo o Ministério Público, os desvios e cartéis da Máfia podem chegar a cerca de 1,8 bilhão de reais do erário público. Bruno Covas entrou em conluio esses caras! Desativou dezenas de linhas de ônibus, e quis aumentar os prazos das licitações com as empresas. Toninho Vespoli tem orgulho de ter lutado contra Covas, ao entrar no MP questionando o aumento dos prazos de licitação. Foi vitorioso, quebrou a cara da Máfia dos Transportes em São Paulo! Com Boulos na prefeitura, Toninho vai poder fazer muito mais, e continuar na luta por um transporte capaz de atender toda a periferia com custos mais justos!

O Vice de Covas bateu na mulher, e é suspeito por desviar dinheiro da merenda escolar

Enquanto o PSOL e Guilherme Boulos têm muito orgulho de apresentar Luiza Erundina, melhor prefeita da história de São Paulo, como vice; o PSDB e Covas tentam esconder o vice deles, Ricardo Nunes. Por isso mesmo fogem de propostas de debate entre candidatos a vice. A razão é porque Ricardo Nunes não tem um décimo da bagagem e caráter de Erundina. Seria trucidado em um debate. O cara foi acusado, em 2011, por agredir a sua esposa! Além disso, a família de Ricardo Nunes recebeu 50 mil reais de creches conveniadas da prefeitura sem fazer licitação!

Bruno Covas é suspeito de corrupção, e chegou a ser RÉU primário!

Muita coisa na administração do Covas cheira estranho. Os 19 bilhões de reais que ele insiste em deixar em caixa, sua proximidade de Ricardo Nunes e da máfia das creches, sua boa relação com a Máfia dos Transportes… Mas ele, ainda, chegou a a ser RÉU em escândalo envolvendo contratações do carnaval em São Paulo! O Ministério Público pediu a condenação de Covas em licitação possivelmente fraudulenta que beneficiou a empresa Dream Factory! Não dá pra confiar em um cara assim!

Não dá pra confiar no Covas!

Os escândalos envolvendo Bruno Covas são muitos (link para postagem no face com 30 razões)! Mas só destes exemplos já deu para entender por que Bruno Covas não merece uma segunda chance! Não dá para confiar em alguém como Bruno Covas! Político fisiológico do PSDB, interessado em beneficiar amigos ricos! Aqui NÃO!

São Paulo não vai deixar.

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Bruno Covas faz vagas fakes!

Bruno Covas faz vagas fakes!

Até as vagas são fakes na gestão de Covas!

Bruno Covas se faz de milagreiro. Inventou agora o “milagre da multiplicação das vagas”. Bruno Covas faz vagas fakes! Olha o pensamento mágico: para que criar vaga em creche para as crianças, se pode fingir que criou? É essa a forma de pensar da direita paulistana. São uns farsantes interessados em enganar o povo!

O problema da falta de vagas em creches se arrasta há muito tempo. Bruno Covas traz ao problema duas soluções que não solucionam: 1) amplia as parcerias com creches terceirizadas. Iniciativas difíceis de fiscalizar, sem o cuidado garantido com as crianças. 2) tanto na rede direta quanto na indireta, “cria” vagas que na realidade não existem. O resultado é a continuação do problema! Bruno Covas faz vagas fakes!

Uma das possibilidades é que as vagas fantasmas estejam sendo usadas para desviar dinheiro da educação, através das creches terceirizadas. Não é a primeira vez que a rede conveniada fica sob suspeita de desviar dinheiro público! Há poucos anos, em zz, o vereador Toninho Vespoli 50650 liderou denúncias na Câmara Municipal contra desvios nas merendas de creches conveniadas.

É isso que acontece quando a direita tucana toma conta da educação. Apenas Guilherme Boulos, candidato a prefeito, e o vereador Toninho Vespoli 50650, são capazes de mudar esse panorama. Juntos essa dupla pode ser capaz de combater a máfia das creches, e garantir a conquista de uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Dinheiro nas nádegas de senador Bolsonarista

Dinheiro nas nádegas de senador Bolsonarista

Entenda o que acontece quando um senador bolsonarista desvia 30 mil reais do combate à covid!

A casa caiu para a máfia Bolsonaro! O senador, e vice-líder do Governo Chico Rodrigues (DEM-RO), foi pego no flagra com 30 mil reais na cueca! O dinheiro foi desviado de programas emergenciais no combate à covid. Segundo os investigadores havia dinheiro nas nádegas de senador Bolsonarista. A descoberta é fruto de uma investigação contra desvios na saúde durante o combate à pandemia. Esse tipo de barbaridade não pode continuar! Elegeram esses pensando que iriam “acabar com a corrupção”. Grande engano! De Queiroz à Jair, são um grande bando de corruptos!

Os 30 mil são apenas uma pequena parte da investigação. O objetivo da operação policial é investigar desvios milionários no Estado de Roraima no combate à covid. O senador Chico Rodrigues, pego com o dinheiro entre as nádegas, é homem de confiança do Bolsonaro. É um dos principais nomes da ação bolsonarista, age com o objetivo de fazer os projetos terríveis de Bolsonaro serem aprovados.

Família de corruptos

Não é apenas o Chico Rodrigues que faz movimentações estranhas com o dinheiro público. Há poucas semanas atrás a própria primeira dama, a Michele Bolsonaro, chamou atenção da mídia ao desviar 7,5 milhões de reais para programa extremamente duvidoso. A iniciativa consagrada com as quantias milionárias tinha o objetivo de financiar grupos evangélicos na catequização de nativos. Tudo isso disfarçado de combate à pandemia. Por ora falta investigar melhor essas finanças. Mas a pouca clareza sobre o que é feito com o dinheiro público chega a ser ilegal.

O filho de Jair, Carlos Bolsonaro, é outro também envolvido em esquemas. O Queiroz, um dos seus assessores parlamentares enquanto era vereador no Rio de Janeiro, era responsável por repassar o dinheiro de rachadinhas. A clareza sobre para onde ia esse dinheiro ainda é pouca. Mas uma linha investigativa suspeita que parte do dinheiro seja usada para financiar a máquina de fake news da família Bolsonaro.

A corrupção se percebe, também, pelas indicações. Para prefeito de São Paulo, por exemplo, Jair Bolsonaro apoia Celso Russomano, político investigado por esquemas de corrupção e de pirâmide. Assim como Bolsonaro, Russomano é um cara da velha política, mais interessado em ganhos pessoais do que em qualquer outra coisa.

O cerco está se fechando

São muitas as questões, por enquanto, sem resposta. Mas o cerco está se fechando. Seja o braço direito no Senado, a esposa, o filho, ou os políticos apoiados pelo Jair, vão ficando poucas dúvidas que se trata de uma corja de corruptos. Para virar esse jogo é fundamental que figuras historicamente críticas a todos os esquemas der corrupção, sejam eleitas ainda em 2020. O vereador Toninho Vespoli 50650, por exemplo, tá há anos lutando contra a máfia dos transportes e a máfia das merendas. Nesses dois esquemas, milhões foram desviados do dinheiro público em São Paulo, respectivamente dos serviços de ônibus, e das merendas escolares.

Já para prefeito é importante elegermos Guilherme Boulos 50. O cara não faz vista grossa com os poderosos. Ainda em 2014 e 2016 protestou contra os desvios na construção de estádios para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas. Foi uma das principais lideranças desses atos, juntando milhares de pessoas para exigir mais respeito com o dinheiro público. Também protestava contra a remoção forçada de populações pobres de seus barracos para a construção dos estádios. Justiça e solidariedade! É assim que se construí um país melhor!

Hoje os dois, Toninho Vespoli 50650 e Gilherme Boulos 50, concorrem pelo PSOL para virar o jogo pra valer na cidade de São Paulo. Assim, a começar pela cidade, vamos conseguir acabar com a corrupção e impedir que absurdos, como o de dinheiro nas nádegas de senador Bolsonarista, voltem a acontecer!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Corrupção de Bolsonaro no Twitter. Centrão agradece

Corrupção de Bolsonaro no Twitter. Centrão agradece

Entenda porque Bolsonaro é e sempre foi um político do centrão!

Subiu nos trendings do Twitter a #DerreteBolsonaro! O uso da hashtag é uma denúncia do teto de aprovação do Jair Bolsonaro. Não importa o que ele faça, a maior parte da população percebeu que ele não presta! Mais que isso, é uma denúncia às alianças do Bozo com o centrão. Admirem a ironia: o candidato que se elegeu com a promessa de fazer a “nova política”, agora está se aliando ao pior que há na velha política! Esse tipo de aliança se dá, inclusive, nas eleições municipais! Aqui em São Paulo, Bolsonaro está apoiando o deputado do centrão, Celso Russomano, para prefeito de São Paulo. O protegido do Bolsonaro é investigado por esquema de pirâmide e de corrupção. Tá dando pra ver a tal da “nova política”! No fim o que se percebe é a Corrupção de Bolsonaro no Twitter. Centrão agradece

Mas para quem pesquisou sobre Bolsonaro, fica claro que não houve mudança de qualquer tipo. Bolsonaro, na realidade, por mais de 30 anos ocupou os partidos do centrão. Ele sempre transitou com os fisiologistas do baixo clero da Câmara dos deputados. Ele sempre foi do centrão! Ainda assim, muitas pessoas se iludiram com a promessa de “uma nova política”.

O auge do fisiologismo!

Mas um novo auge do fisiologismo se deu nesse dia 3, quando Bolsonaro foi flagrado em um abraço “carinhoso” com o seu favorito para ocupar o cargo vago no Supremo Tribunal Federal, o desembargador Kássio Nunes. Kássio é o favorito do centrão. É mais político que juíz. Mais que isso, por terrível “coincidência”, foi aproximado de Bolsonaro pelo advogado de sua família, o Frederick Wassef. Só para refrescar a memória, Wassef foi o advogado que escondeu o laranja do Queiroz, ex-assessor de Carlos Bolsonaro (filho do Jair). Ou seja, Kássio é próximo ao advogado que ajudava a abafar o caso das rachadinhas!

Vale aqui um ponto de cuidado: não é só porque o Kássio é uma escolha ruim, que não poderiam haver outras piores. Bolsonaro, por exemplo, prometeu que o ministro indicado seria alguém “terrivelmente evangélico” e disposto a proferir decisões homofóbicas e machistas. Mas ainda assim, surpreende Bolsonaro preferir uma opção do centrão.

Já faz tempo que o rabo é preso

Esse não é um caso isolado. Como já coberto em outra matéria, desde que percebeu que sua popularidade começava a ruir, Bolsonaro começou a costurar alianças com o esgoto da política. E mais recentemente trocou a liderança do governo na Câmara por um político do PP, partido notoriamente do centrão.

Agora, nas eleições municipais, Bolsonaro continua o namorico com o centrão. Foi logo apoiar Celso Russomano, político do partido do centrão Republicanos. Para coroar a aliança, vale lembrar que Russomano foi acusado de envolvimento em casos de corrupção e de esquema de pirâmide. Ou seja, apesar de se vender com paladino da luta contra corrupção, o Bolsonaro se mostra aquilo que ele sempre foi: um político clássico do pior dos tipos! Percebe-se, como marcado pela #Bolsonaroderrete: Corrupção de Bolsonaro no Twitter. Centrão agradece

Toninho na luta contra o centrão

Aqui em São Paulo, a situação com o centrão, não é diferente! Durante a votação do Sampaprev, Toninho Vespoli denunciou que o centrão na Câmara Municipal estava negociando seus votos a custa de cargos na administração pública. A coisa é tão bizarra que basta olhar o Diário Oficial antes e depois da votação de projetos importantes e observar as exonerações e nomeações, respectivamente, para ter uma ideia do tamanho do fisiologismo.

Toninho Vespoli, na Câmara Municipal, sempre percebeu como o centrão é poderoso e perigoso. É um dos políticos mais íntegros da casa. Desde que foi eleito em 2012, luta por posições claras e objetivas, comprometidas com a escuta popular! Ele entende que para vencer o centrão, o fascismo e Bolsonaro, o único jeito é deixando os poderes nas mãos do povo!

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!
Para além de combater a Covid, vamos combater o neoliberalismo

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho