Lei do Magistério

Pra quem ainda não entendeu: como Bolsonaro usou salário dos professores para fazer demagogia

Dúvida Bolsonaro

O que aconteceu?

No dia 4 de fevereiro, o presidente Bolsonaro e o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, assinaram uma portaria instituindo novo piso salarial dos professores da educação básica de todo o país das redes públicas estaduais e municipais.

Mas fizeram apenas o mínimo para o cumprimento da lei. O reajuste de 33,24% obedece a Lei do Magistério de 2008, que inclusive o presidente foi contra na época em atuava como deputado federal.

Jogada eleitoral

O aumento no piso também representa mais um passo na disputa eleitoral, colocando seus inimigos para lutar um contra o outro. Governadores e prefeitos são contra a medida porque não querem arcar com o aumento; os professores querem o aumento mas não querem que Bolsonaro capitaliza politicamente com o puro e simples cumprimento da lei.

Na prática, estados com governadores de base progressista sentirão maior pressão para repassar o ajuste, enquanto estados “aliados”, como o Rio de Janeiro de Cláudio Castro, vão ter facilidade em driblar o aumento e a pressão financeira consequente.

Como fica o novo piso?

O salário mínimo dos professores da educação básica deixa de ser R$ 2.886 e passa para R$ 3.845.

Para além de combater a Covid, vamos combater o neoliberalismo

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho