transparência

Prestação de contas do mandato!

Saiba como Toninho Vespoli luta em conjunto com a população para construir um mandato aberto e transparente!

Dia 27 de abril, o vereador Toninho Vespoli organizou uma assembleia virtual de prestação de contas do seu mandato parlamentar. O objetivo declarado da assembleia foi, nas palavras do assessor e moderador do evento, Peterson Prates, ser “um momento de escuta, um momento de trocas; e também de prestação de contas”. Participaram do evento, além do vereador Toninho Vespoli, historiadores e artistas.

Durante o evento, Toninho Vespoli ponderou seu entendimento sobre a limitação do formato, em razão do formato online. Ainda assim frisou a importância de haver tal espaço para críticas e ponderações a respeito das atividades do mandato. A essência da mensagem do vereador era sobre a necessidade de ponderar o momento difícil vivido em razão da pandemia, com a necessidade de, em suas palavras, “jogar as sementes da esperança e comemorar a vida”. Toninho lamentou não poder, em razão da pandemia, dirigir o devido agradecimento pessoal a todos os coletivos essenciais para a vitória do mandato nas urnas, ponderando, entretanto, empenho em atentar aos grupos assim que as condições sanitárias permitirem. Finalizou pronunciando algumas das ações do mandato em nome de suas principais pautas de luta: periferia, educação, transportadores escolares, pessoas com deficiência, pauta animal, cultura, saúde, questão ambiental e urbanismo.

Peterson explicou que, além de lutar por uma educação pública gratuita e de qualidade, o mandato também luta há anos pela saúde pública. Revelou aos presentes o fato de que a maioria das emendas parlamentares de Toninho Vespoli, têm como objetivo reformar e melhorar aparelhos de saúde populares.

O artista Caio Muniz, além de apresentar canções e poemas, elogiou a capacidade do mandato de Toninho Vespoli de abraçar causas bastante diversas, e no processo aproximar pessoas em lutas por uma nova sociedade.

Casimiro, morador de favela na zona norte de São Paulo, elogiou a capacidade do mandato de escutar, e de lutar em conjunto com a população marginalizada. O professor Luís Pinto, morador do extremo Leste Paulista, concordou com Casimiro, adicionando que admira a capacidade do mandato de se organizar em conjunto com escolas periféricas da rede pública, com destaque às ações de escuta, zeladoria e apoio às greve. Luís finalizou a fala lembrando sobre os riscos, em alguns casos mortais, de se retomar as aulas em escolas públicas antes da pandemia ser controlada, posição respaldada nas posturas de Toninho enquanto parlamentar.

Elisângela, mulher negra, evangélica, feminista e moradora do Grajaú, elogiou bastante a atuação de Toninho Vespoli, em especial a sua capacidade de ajudar a população diretamente. Constratou a proatividade de Toninho com a inação de outros parlamentares. 

Katiuscy Silva, membro do setorial de segurança pública do PSOL, agradeceu as ações do mandato pela limpeza em nascentes de rios no Parque São Lucas. Ressaltou o apoio contínuo de Toninho, e sua capacidade de articular com o Ministro Público. Sugeriu, por fim, a criação de grupo de trabalho no mandato para debater a possibilidade de criar grupos de mediação de conflitos entre alunos e docentes nas escolas, como alternativa à ação policial, às vezes requisitada. Lembrou que a ação policial pode muitas vezes ser truculenta e desproporcional, e defendeu a busca, junto ao mandato, por estratégias mais pacíficas, e baseadas no diálogo. Sugeriu, também, em consonância com proposta da campanha de Guilherme Boulos para prefeito, que o mandato busque estratégias para aproximar a Guarda Civil Metropolitana da população, em busca de maior humanidade das ações policiais.

Gleice Vasconcelos aproveitou a sua fala para sugerir ações a fim de trazer unidades da Rede Bom Prato para regiões na periferia, a fim de não exigir a locomoção por grandes distâncias para quem possui dificuldades para se alimentar. Também defendeu maior interação com líderes comunitários nas periferias, incluindo auxílio digital na busca por direitos e benefícios públicos. Finalizou sugerindo administração coletiva e descentralizada dos parques e praças públicos, a fim de garantir uma gestão mais democrática e popular dos bens públicos. 

Ivan Carvalho, professor municipal e um dos integrantes da banda alternativa Trupicalhada, agradeceu ao apoio de Toninho para protegê-lo de ameaças de morte sofridas no seu ofício, em razão de suas posições políticas. 

O tom geral do encontro virtual foi de celebração e esperança pelo terceiro mandato do vereador Toninho Vespoli. Trabalhadores da educação, moradores da periferia, profissionais da saúde e transformadores culturais foram todos em favor da continuação do mandato popular.

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

Para Bruno Covas praça de rico vale mais que a vida de pobres

Para Bruno Covas, praça de rico vale mais que a vida de pobres

Entenda o que Toninho Vespoli está fazendo para fiscalizar a reforma faraônica do Vale do Anhangabaú

Enquanto nega dar o amparo necessário à população carente, a prefeitura de São Paulo prefere gastar o dinheiro público com uma reforma cara, feia e possivelmente superfaturada na praça do Anhangabaú, no centro. Para Bruno Covas, praça de rico vale mais que a vida de pobres. Para dar um basta nos abusos Toninho Vespoli ativou o Ministério Público, o TCM e luta para a criação de uma CPI na Câmara Municipal.

Anhangabaú, da feliz cidade

O vale do Anhangabaú sempre foi conhecido por habitantes do centro como uma das poucas áreas verdes restantes na região. Até a reforma, a vista para o vale revelava a suave confluência de três rios que banhavam áreas de árvores e gramados. Não há dúvida de que a área precisava de alguma manutenção. Assim como a maioria das áreas públicas da cidade, Bruno Covas também abandonou o vale. Ainda assim, medidas simples de zeladoria como poda da grama e das árvores, manutenção e colocação de bancos, limpeza do lago natural do vale entre outras coisas simples e baratas bastariam para ressaltar a beleza e exuberância da região.

Bruno Covas não gostou. Queria por que queria gastar dinheiro público em uma reforma total na área. Uma mudança feia, de um “modernismo” datado e bruto. As reformas incluem o soterramento dos rios na região, em preferência de um estilo cinza e feio. Por que as mudanças? Só podemos especular. Mas é bem possível que tenha relação com os interesses de imobiliárias no centro. O plano talvez fosse o de criar uma área elitizada de lazer e turismo, e ao mesmo tempo tornar o ambiente concretado e hostil para a população de rua. 

Na esquerda como era e na direita como ficou

Reforma sem fim

Sejam quais fossem as motivações, Bruno Covas colocou, até agora, 105,6 milhões do dinheiro público na reforma. E detalhe: o valor já é 32% maior do que o combinado no momento da contratação. E isso porque a reforma ainda nem está pronta! Era para a obra ser finalizada em junho de 2020. Atrasou, em teoria, para o dia 30 de outubro. Na data, a prefeitura declarou haver necessidade de “ajustes finais”. A pandemia serviu como panaceia dos incompetentes: é a justificativa oficial para os atrasos.

Não há dúvida de que os gastos com a reforma são mal esclarecidos e desproporcionais. O Tribunal de Contas do Município concluiu isso em relatório próprio, de agosto de 2020. Como reação ao relatório, a prefeitura interrompeu as obras, apenas para retomá-las semanas depois.

Toninho Vespoli diz basta!

Para o Professor Toninho Vespoli isso tudo foi demais. Já durante a pandemia a prefeitura que nega caixa para auxiliar a população mais carente, alegando falta de dinheiro, foi gastar mais de 100 milhões em uma reforma desnecessária de uma praça para os riquinhos do centro? Isso ainda em um projeto feio com problemas estruturais e ambientais. A própria natureza fez questão de protestar: dia 31 de outubro, no dia seguinte a uma das muitas datas de entrega da reforma, uma chuva (nem particularmente forte) fez a praça amanhecer alagada. É lógico! É isso que acontece quando se concreta uma área banhada por rios!

Para Bruno Covas, praça de rico vale mais que a vida de pobres. E é assim que ele escolhe gastar o dinheiro do povo. Toninho Vespoli não vai deixar quieto. 

As opiniões presentes no texto não necessariamente refletem as opiniões do Vereador Toninho Vespoli

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!

O que a prefeitura está escondendo?

O que a prefeitura está escondendo?

Entenda a ligação entre corrupção e falta de transparência

A transparência é a melhor arma contra a corrupção. Todos sabem dos nossos escândalos históricos quando o assunto é desvio do dinheiro público. E sempre, não importa a gestão, quando ocorrem esses escândalos, ocorre, junto, uma tremenda falta de transparência, e descaso com as indagações do povo e das autoridades.  O Bruno Covas parece estar trilhando o caminho dos corruptos, ao impedir que as contratações feitas no combate à Covid-19 possam ser devidamente analisadas pelo povo. Na verdade, sem dar satisfações, o prefeito está desobedecendo à lei de acesso à informação, preferindo declarar estranho sigilo das contratações emergenciais. O que a prefeitura está escondendo?

Praticamente todas as contratações durante a pandemia na cidade de São Paulo estão sob sigilo. Bruno Covas nem quis dar muita explicação do porquê de tanto segredo. Isso já seria péssimo em condições normais, mas nós, ainda, estamos passando por uma crise sem precedentes na história do nosso país. Cada centavo torna-se essencial, não havendo espaço para erros e desvios com o dinheiro público.

A falta de transparência fez Toninho Vespoli lutar para descobrir a verdade

O vereador Toninho Vespoli, indignado com tamanha falta de transparência, questionou a administração sobre porque eles não querem liberar o conteúdo das contratações. Até agora, não houve respostas.

É chocante pensar que, pelo pouco que chegou a ser divulgado, já hajam tantas coisas estranhas e mal explicadas. Por exemplo, uma das contratações diz respeito a leitos hospitalares que serão ministrados pelo Hospital Albert Einstein e pela SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina). Apesar de de determinar  essas instituições fiquem responsáveis por operar o mesmo número de leitos, a SPDM deverá receber 15 milhões de reais a mais que o hospital Albert Einstein! O povo merece saber: porque tamanha diferença?!

Outra contratação nebulosa diz respeito aos hospitais de campanha, que estão sendo montados nos estádios Pacaembu e Anhembi. Acontece que a empresa contratada para montar esses hospitais, é a mesma encarregada de privatizar o estádio do Pacaembu. Além disso, possui como diretor pessoa próxima da própria administração pública. Ou seja, você tem aí uma mistura de interesses muito clara.

Esses escândalos são apenas aqueles que a gente já sabe. Está na cara que eles não querem que o povo saiba de algo. Mas como as contratações estão sob sigilo, quem dirá mais o que prefeitura está escondendo?

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira

Gabriel Junqueira é jornalista, ativista e militante do Partido Socialismo e Liberdade. Atualmente estuda Direito e compõe Mandato Popular do Professor Vereador Toninho Vespoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Um mandato popular!

Conheça mais sobre o que nos move!
Para além de combater a Covid, vamos combater o neoliberalismo

Faça parte da nossa rede

Quer ser um embaixador virutual e ajudar a educacão salvar vidas na cidade?
Venha conosco, inscreva-se e ajude a espalhar a campanha do Professor Toninho